Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 15/11 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 15/11 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 15/11 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 14/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 14/11 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 14/11 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 14/11 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 14/11 09h36 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Brasil

Natal nas favelas do Rio será em ritmo de deflação, diz Les Echos

media Natal nas favelas brasileira será em ritmo de deflação, afirma jornal francês. REUTERS/Ricardo Moraes

O jornal econômico francês Les Echos desta quarta-feira (24) publica um artigo sobre as conseqüências da crise nas festas de fim de ano no Brasil. Segundo o diário, o preço dos badalados réveillons nas pacificadas favelas cariocas está em “queda livre”.

O correspondente do Les Echos em São Paulo, Thierry Ogier, escreve que os espumantes da ceia de Natal ainda não foram abertos e os preços para o réveillon já foram diminuídos. Boa notícia para os consumidores, mas um indicador da crise no país. O artigo lembra que os bailes nos morros do Rio, com vista para o grande espetáculo de fogos de artifício da praia de Copacabana, entraram na moda há alguns anos.

Os festeiros aceitavam pagar uma fortuna para deixar os bairros da zona sul. “Subir o morro é emocionante e chique”, afirma o correspondente. Mas a crise, a recessão técnica e o plano de austeridade anunciado pelo governo fizeram os preços despencar de € 400 (R$ 1.300)  para cerca de € 130 (R$ 427).

Legado da Copa

O exemplo do réveillon nas favelas indica, talvez, o fim do fenômeno dos preços “surreais”, provocado pela Copa do Mundo no país. Depois de fazer um balanço do legado negativo do Mundial - estádios e hotéis vazios, obras atrasadas, queda no preço dos imóveis e o trauma do 7 a 1 contra a Alemanha, Les Echos afirma que o Natal brasileiro 2014 será o das "lembrancinhas".
 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.