Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/10 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 19/10 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 19/10 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 19/10 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 19/10 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/10 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Brasil

Estado de São Paulo é “refém das chuvas”, escreve Le Monde

media Jornal Le Monde traz reportagem sobre seca em São Paulo. Montagem/RFI

Na edição desta quinta-feira (27), Le Monde destaca a crise hídrica que atinge o Estado de São Paulo. O jornal diz que 40 milhões de brasileiros estão ameaçados por uma seca “excepcional” e correm o risco de ficar sem água.  

O jornal Le Monde foi até Itu, no interior de São Paulo, para fazer um retrato do problema da seca que atinge todo o Estado de São Paulo. A cidade, situada a 90 km da capital paulista, é uma das mais afetadas pela escassez de água. “Depois de um inverno muito seco seguido por uma intensificação de ondas de calor, o Estado de São Paulo viu o nível dos seus reservatórios recuar para um patamar crítico. (...) Em Itu, as reservas estão abaixo de 3%, explica o jornal.

Le Monde cita também as declarações de Vicente Andreu, da Agência Nacional de Águas, que diz que só um “dilúvio” pode salvar a Cantareira. “A maior região econômica do país é refém das chuvas”, destaca o jornal.

A situação climática não é única culpada, avalia o diário francês. “Nos meses anteriores às eleições de outubro, as autoridades de São Paulo minimizaram a gravidade da situação”. Mas a realidade acabou tendo que ser enfrentada pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin. “Foi preciso esperar até o fim da eleição presidencial para que o governador decidisse ir para Brasília pedir uma ajuda financeira de urgência”, escreve Le Monde.

O cenário, segundo o jornal, é dramático e os moradores de São Paulo vivem uma verdadeira “corrida contra o tempo” para evitar o pior. “A urbanização descontrolada e a ausência de programas de saneamento, que eram frequentemente criticadas por especialistas, provocaram um esgotamento dos mananciais e a poluição dos rios”.

 

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.