Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 13/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 13/11 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 13/11 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 13/11 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 13/11 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 13/11 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 12/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 12/11 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Esportes

Interpol prende 1,4 mil envolvidos em apostas ilegais na Copa

media A Interpol tem investido em campanhas desde a infância para diminuir a venda de resultados nas partidas de futebol. Interpol

A Interpol informou nesta sexta-feira (18) que mais de 1,4 mil pessoas foram presas e cerca de 12 milhões de dólares foram apreendidos na Ásia durante uma megaoperação sobre apostas ilegais nos jogos da Copa do Mundo de futebol. A ação foi promovida pela polícia internacional em coordenação com as polícias de Hong Kong, Macao, Cingapura, China, Malásia e Vietnã.

A operação resultou em quase 1.000 intervenções em casas de jogo clandestinas, nas quais circularam cerca de 2,2 bilhões de dólares em apostas ilegais, a maioria pela internet. A ação, batizada de Soga V - contração da expressão em inglês “soccer gambling” – é a quinta desse tipo realizada pela organização a desde 2007.

O trabalho começou no dia 1º de junho e durou toda a Copa no Brasil, encerrada no dia 13 de julho. A Soga V foi coordenada pela Unidade de Luta contra Organizações Criminais e Entorpecentes da Interpol, cuja sede fica em Lyon, na França.

“As apostas ilegais geram imensos lucros para organizações criminosas ligadas à corrupção, o tráfico de seres humanos e a lavagem de dinheiro. Por isso, uma resposta internacional coordenada é necessária, para lutarmos contra esse tipo de crime”, destacou Jean-Michel Louboutin, diretor-executivo dos serviços de polícia da Interpol. “Os resultados da última operação Soga são significativos, em relação ao volume de apostas gerenciadas por casas clandestinas e ao número de pessoas presas”, observou.

Em busca de cúmplices

Os agentes recolheram computadores e celulares dos suspeitos. Os aparelhos serão analisados e poderão levar a novos cúmplices na Ásia e em outros continentes, conforme a entidade.

A Interpol detalhou que, juntas, as cinco operações resultaram na prisão de mais de 8,4 mil pessoas, a apreensão de 40 milhões de dólares em espécie e o fechamento de 3,4 mil casas de jogo clandestino, que movimentavam cerca de 5,7 bilhões de dólares em apostas.

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.