Ouvir Baixar Podcast
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 20/01 08h57 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 20/01 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 20/01 08h30 GMT
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 19/01 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 19/01 14h06 GMT
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 19/01 14h00 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 18/01 08h36 GMT
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 18/01 08h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Brasil

Dilma Roussef confirma presença na posse de Michelle Bachelet no Chile

media Michelle Bachelet comemora a vitória presidencial. REUTERS/Ivan Alvarado

A presidente brasileira, Dilma Rousseff, confirmou que vai estar presente na posse de Michelle Bachelet, na próxima terça-feira (11), no Chile. A informação foi divulgada pelo palácio do governo. A socialista chilena substitui Sebastian Piñera, de direita, na presidência.

A cerimônia vai acontecer na sede do Congresso chileno, no porto de Valparaíso, a cerca de 110 km a oeste da capital Santiago. Outros presidentes latinos, como Evo Morales, da Bolívia, Ollanta Humala, do Peru, e Enrique Peña Nieto, do México, também já confirmaram presença.

Michelle Bachelet, 62 anos, volta à presidência pela segunda vez após ter vencido com folga o segundo turno das eleições presidenciais em dezembro, contra Evelyn Matthei, de direita.

Em 2006, ela foi a primeira mulher eleita para chefiar o país. Ela terminou seu mandato quatro anos depois com alto índice de popularidade, mas não pôde se candidatar à reeleição porque o sistema é proibido pela Constituição chilena.

Ao final do seu mandato em 2010, Michelle Bachelet assumiu a direção da agência das Nações Unidas ONU-Mulheres. Além da carreira política, Bachelet também é pediatra.

Crise venezuelana

O vice-presidente norte-americano, Joe Biden, aproveita a viagem ao Chile, onde fica três dias, para conversar com os líderes da região sobre as manifestações que abalam a Venezuela. O líder venezuelano Nicolas Maduro fez um apelo por um encontro de presidentes sul-americanos para discutir a crise no país, que já dura mais de um mês e provocou a morte de 20 pessoas.

O presidente do Equador, Rafael Correa, declarou que os ministros das Relações Exteriores da Unasul que encontrariam em Santiago. No entanto, Maduro já exprimiu que é contra qualquer tipo de mediação de fora, principalmente da OEA (Organização dos Estados Americanos) ou de Washington.
 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.