Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 24/06 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 24/06 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 24/06 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 23/06 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 23/06 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 23/06 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 23/06 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 23/06 09h33 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Brasil

China aprova importação de três tipos de soja transgênica brasileira

media Colheita de soja na Fazenda da Lagoa, Vitória Das Missões, Rio Grande do Sul. Flickr/ Lívia B. Auler

O governo da China anunciou ontem a liberação das importações de três variedades de soja brasileira geneticamente modificada. A decisão foi comunicada ao ministro da Agricultura do Brasil, Antônio Andrade, que estava em viagem oficial à China.

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento informou que a China aprovou a importação de variedades de soja Intacta RR2 PRO, da Monsanto, CV127, da Basf e da Embrapa e Liberty Link, da Bayer CropScience, "que têm a propriedade de supressão da população de lagartas que causam muitos danos às lavouras de soja no Brasil”.

Durante a participação no do Foro China- America Latina e Caribe de Ministros da Agricultura, que aconteceu ontem em Pequim, o ministro brasileiro agradeceu às autoridades chinesas. A China é o principal mercado comprador de soja brasileira. Em abril deste ano, Brasil exportou 7,154 milhões de toneladas de soja em grãos. Deste total, 5,604 milhões de toneladas tiveram a China como destino.

“Essa decisão era ansiosamente aguardada pelos sojicultores brasileiros, visto que as empresas têm poucas semanas para embalar e distribuir o produto, a tempo do plantio da nova safra”, destacou o ministro brasileiro.

A Aprosoja (Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso) comemora o resultado da visita do ministro ao governo chinês. “Esta aprovação é importante para o produtor mato-grossense, pois queríamos adotar a nova tecnologia, mas não era possível sem a liberação do nosso principal mercado”, disse o presidente da Aprosoja, Carlos Fávaro.

Segundo o Ministério da Agricultura, as novas sementes aprovadas pelo governo chinês já tinham seu uso autorizado no Brasil e em outros mercados, mas os produtores de soja brasileiros não queriam ampliar o plantio dessas variedades sem a certeza da aceitação pelo mercado chinês.

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.