Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/07 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 18/07 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 18/07 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 18/07 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 18/07 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 17/07 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Brasil

Brasil vive Primavera Indígena, dizem ONGs

media Um índio fiscaliza a entrada do canteiro de obras de Belo Monte REUTERS/Lunae Parracho

O Dia Mundial do Meio-Ambiente, comemorado nesta quarta-feira, será marcado pelo levante das tribos indígenas que está acontecendo no Brasil. O país está vivendo uma verdadeira Primavera dos Indios, com o aumento do número de retomadas de territórios. Só no Mato Grosso do Sul, existem 65 propriedades ocupadas. Recentemente, uma dessas ações acabou em tragédia, com morte do índio terena Oziel Gabriel, 35 anos, durante um conflito com a polícia na Fazenda Buriti. Os policiais executavam um mandado de reintegração de posse. O incidente levou o ministro da Justiça José Eduardo Cardozo a declarar que a questão indígena se tornou uma questão de Estado.

A RFI entrou em contato com o governador do estado, André Puccinelli. Segundo sua assessoria de imprensa,a questão é da alçada do governo federal, e o o Estado do Mato Grosso do Sul " não tem uma participação na solução do problema." A polícia militar agiu, diz o governo, em apoio à polícia federal.

Em Belo Monte, a situação também é tensa. 170 indígenas estão acampados no canteiro de obras, apesar da Justiça ter determinado a desocupação até o dia 29 de maio.

Os índios exigem que os estudos e as obras sejam suspensos nos Rios Xingu, Tapajós e Teles Pires, e foram recebidos em Brasília nesta terça-feira por representantes do governo federal. No Paraná, um grupo de 30 índios tribo caingangue invadiu nesta segunda-feira a sede do PT no Paraná em protesto à decisão da ministra Gleise Hoffman suspendendo a demarcação de terras indígenas no Estado. A intenção é que outros órgãos, além da Funai, participem do processo.

Para Antonia Melo, coordenadora do movimento Xingu Vivo em Altamira, no Pará existe uma mobiilização coordenada dos indígenas, que estão dispostos a fazer valer seus direitos, e o movimento está ganhando força através do país.

O anúncio de Dilma, tirando a exclusividade da Funai na demarcação de terras, dificulta ainda mais o diálogo entre os indígenas e o governo. A mudança na legislação também tem preocupado as organizações internacionais de defesa da causa indígena, como é o caso da Survival International.

No Brasil, hoje vivem 817 mil índios, que representam 0,4% da população brasileira, segundo dados do Censo 2010. Eles estão distribuídos entre 688 Terras Indígenas e algumas áreas urbanas.

Ouça a reportagem completa

Reportagem Brasil vive levante indígena, dizem ONGs 05/06/13 06/06/2013 Ouvir

 
O tempo de conexão expirou.