Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 20/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 20/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 20/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 20/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 20/09 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 20/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/09 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Américas

Ventos de 260 km/h do furacão Dorian devem causar danos dramáticos às Bahamas

media Mar revolto nas Ilhas Bahamas, neste domingo, a poucas horas da passagem do furacão Dorian pelo arquipélago do oceano Atlântico. Mark Hall/Christopher Hall via REUTERS

O furacão Dorian ganhou força neste domingo (1) e atingiu a categoria 5, a máxima possível, com ventos de 267 km/h um pouco antes de atingir as Ilhas Ábaco, nas Bahamas, informaram os meteorologistas.

"#Dorian é agora um furacão de categoria 5", anunciou no Twitter o Centro Nacional de Furacões (NHC) americano, que tem sede em Miami. "A parede do olho deste furacão catastrófico está a ponto de atingir as Ilhas Ábaco, com ventos devastadores", completou o NHC.

O fenômeno, que avança lentamente, deve permanecer sobre as Bahamas neste domingo e por boa parte de segunda-feira (2), provocando chuvas fortes e ondas de 3 a 4,5 metros de altura, segundo as previsões.

Bahamas está em uma situação "muito perigosa", afirmou Ken Graham, diretor do NHC, em uma transmissão pelo Facebook. Ele fez um apelo para que os moradores cumpram as medidas de segurança das autoridades locais.

O olho do ciclone estava localizado a cerca de 360 km a leste de Palm Beach, na Flórida, para onde deve seguir depois de deixar as Bahamas. A categoria 5, a mais alta na escala de Saffir-Simpson, usada para medir esse tipo de tempestade, é a mesma do furacão Katrina, que devastou a cidade de Nova Orleans em 2005, e de Irma e Maria, que causaram desolação a populações do Caribe em 2017.

Com informações da AFP

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.