Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 14/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 14/11 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 14/11 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 14/11 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 14/11 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 14/11 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 13/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 13/11 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Américas

Narcotraficante mexicano El Chapo é condenado à prisão perpétua

media 'El Chapo' Guzmán, foi extraditado para os Estados Unidos, onde foi reconhecido culpado, em fevereiro. HO / US DEPARTMENT OF JUSTICE / AFP

O mexicano Joaquin Guzman, conhecido como El Chapo, foi condenado nos Estados Unidos à prisão perpétua. Os advogados do narcotraficante, considerado o mais poderoso desde o fim da era de Pablo Escobar, já avisaram que vão recorrer da decisão.

O chefe do cartel Sinaloa vai terminar a vida atrás das grades. Além da pena de prisão perpétua, anunciada nesta quarta-feira (17) pelo juiz Brian Cogan, do tribunal federal do Brooklyn, em Nova York, ele também foi condenado a 30 anos de detenção suplementar.

Em fevereiro, o narcotraficante de 62 anos já havia sido considerado culpado por ter orquestrado a entrada nos Estados Unidos de cocaína, heroína e maconha. Em 25 anos, ele levou pelo menos 1.200 toneladas de droga para o país.

“As provas apresentadas no processo mostraram que (Joaquin Guzman) era o chefe impiedoso e sanguinário do cartel de Sinaloa”, lançou a procuradoria durante a audiência. El Chapo co-dirigiu a formação criminosa, uma das mais violentas do México, entre 1989 e 2014.

Assassinato e tortura, inclusive de familiares

Durante o processo, a acusação também mostrou que o mexicano ordenou o assassinato ou executou pelo menos 26 pessoas. As vítimas, muitas delas torturadas, eram informantes, traficantes vindos de grupos rivais e policiais, mas também colaboradores e até membros de sua própria família.

Na abertura da audiência, El Chapo se exprimiu pela primeira vez desde sua . Ele alegou ter sido privado de um processo justo e denunciou as condições de detenção, afirmando ter sido vítima de “tortura física, psicológica e mental 24 horas por dia”.

O narcotraficante era mantido em um regime de isolamento total no Metropolitan Correctional Center, em Manhattan. Antes de ser extraditado para os Estados Unidos, em 2017, ele chegou a escapar duas vezes de prisões de vigilância máxima no México.

Agora, El Chapo cumprirá sua pena na Administrative Maximum Facility, estabelecimento situado em um local isolado no Colorado. Apelidada de “Alcatraz das Rochas”, a prisão é considerada uma das mais seguras dos Estados Unidos.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.