Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 17/02 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 17/02 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 17/02 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Américas

Em vídeo, coronel anuncia apoio a Guaidó e pede união para reconstruir Venezuela

media Voluntários no centro de ajuda humanitária Las Tienditas, em 8 de fevereiro de 2019 REUTERS/Luisa Gonzalez

O coronel Ruben Alberto Paz Jimenez, do exército venezuelano, anunciou em um vídeo divulgado neste sábado (9) que não reconhece mais a autoridade do presidente Nicolás Maduro e obedecerá as ordens do presidente interino Juan Guiadó.

Nas imagens, divulgadas nas redes sociais, Jimenez pede aos membros das Forças Armadas que autorizem a entrada da ajuda humanitária bloqueada por Maduro na cidade fronteiriça de Cucuta, na Colômbia. Militares fiéis ao presidente Maduro bloquearam a passagem sobre a ponte internacional Las Tienditas.

“Peço aos membros das Forças Armadas que permitam a entrada de ajuda humanitária, assim poderemos salvar muitas vidas. O povo tem direito à saúde. Nas Forças Armadas, 90% de nós estamos descontentes, estamos sendo usados para mantê-los no poder. Sejamos corajosos, vamos nos unir, sem medo, nós, o povo e o presidente Guaidó. Juntos, podemos reconstruir a Venezuela”, diz.

Tropas devem reagir

Assim como a oposição, o coronel Paz Jimenez, que é médico, pede que as tropas reajam diante da falta de alimentos e medicamentos para a população. “Como médico, constato a problemática sanitária que vive o país”, disse. Em seu vídeo, o coronel Paz Jimenez não especificou onde estava, e pediu ao ministro da Defesa, Vladimir Padrino Lopez, que pensasse sobre seu próprio posicionamento. “A História o julgará”, acrescentou.

Há cerca de uma semana, o general Francisco Yanez, da Aeronáutica, também anunciou que não reconhecia mais a autoridade de Maduro. Ele foi o primeiro militar a demonstrar publicamente o apoio a Guiadó. O presidente da Assembleia Nacional se autoproclamou presidente interino no dia 23 de janeiro e o alto comando das Forças Armadas reafirmou várias vezes sua lealdade ao presidente Nicolás Maduro.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.