Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/09 15h27 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 18/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 18/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 18/09 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 18/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/09 15h27 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 17/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 17/09 09h57 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Américas

Stacey Abrams: o rosto da oposição ao discurso de Trump

media Stacey Abrams vai reagir ao discurso de Trump sobre o Estado da União REUTERS/Chris Aluka Berry /File Photo

Stacey Abrams, mulher negra de 44 anos, foi a escolhida pelos democratas para reagir ao discurso sobre o Estado da União do presidente norte-americano, Donald Trump, previsto para esta terça-feira (5) nos Estados Unidos. Candidata derrotada ao cargo de governadora do Estado da Geórgia nas últimas eleições de meio de mandato, ela é conhecida por sua capacidade de retórica.

Stacey Abrams é advogada e foi eleita em 2006 pela primeira vez à Câmara dos Representantes da Geórgia. Em 2010, ela se tornou líder dos democratas nesse estado e, a partir de então, passou a ser conhecida dos cidadãos norte-americanos.

Pronta para trabalhar com seus adversários políticos, Stacey Abrams é sobretudo conhecida por ser diplomática e sempre procurar um consenso. Sua doutrina é criticada por membros de seu próprio partido, que a acusam de fazer pactos com o inimigo, mas, de maneira geral, ela é elogiada, até mesmo pelos republicanos.

Nascida numa família pobre no estado de Wisconsin, Stacey passou uma parte de sua vida no Mississippi, antes de seus pais decidirem ir para a Geórgia. Com diploma na Universidade de Yale, ela seguiu uma carreira de advogada fiscal antes de fundar várias empresas, além de ser autora de livros românticos.

Durante a corrida eleitoral em 2018, Stacey Abrams, de origem humilde, teve que enfrentar as críticas dos adversários, que a acusavam de ser uma má administradora por acumular uma dívida de US$ 200.000. Uma acusação que ela respondeu afirmando ainda pagar seu empréstimo estudantil e ter despesas com seus pais e sua sobrinha.

“Vou ser clara: a luta não terminou. Porque isso significaria reconhecer que o que acontece atualmente [nos Estados Unidos] é justo, bom ou apropriado. Como uma mulher de consciência e de fé, não posso admitir isso”, disse, após a derrota. Depois de denunciar as irregularidades durante a campanha eleitoral de meio de mandato, Stacey criou uma associação para promover uma reforma eleitoral em seu país.

Discurso otimista

Donald Trump prometeu otimismo em seu discurso sobre o Estado da União na noite desta terça-feira. O evento é um ato cerimonial, cheio de nobres aspirações e ovações sem fim. A Casa Branca anunciou um texto "unificador" e até "visionário".

Mas a atmosfera em Washington é a mais hostil dos últimos anos, após o confronto entre o presidente e a Câmara dos Representantes, de maioria democrata, por causa de seu pedido de verbas para financiar um muro na fronteira com o México. Esse confronto já causou o fechamento parcial da administração por mais de um mês e levou Trump a adiar o discurso por uma semana, a pedido da presidente democrata da Câmara, Nancy Pelosi.

Donald Trump vai falar de assuntos como a baixa no preço dos medicamentos, a construção de infraestruturas e a imigração, um de seus temas preferidos. Além disso, ele fará um resumo de sua ação e deve comentar o acordo comercial obtido com o Canadá e o México, prometer uma melhor relação com a China, além de evocar a situação na Venezuela.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.