Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 18/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 18/09 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 18/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/09 15h27 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 17/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 17/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 17/09 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 17/09 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Américas

Nos EUA, governador democrata é pressionado a renunciar após foto racista

media O governador da Virgínia, Ralph Northam, nega ser uma das pessoas na foto racista publicada em anuário de sua escola de medicina, de 1984. Reprodução/YouTube

O governador do estado americano da Virgínia, Ralph Northam, está no centro de uma polêmica depois que uma foto de cunho racista atribuída a ele veio à tona. O democrata pediu desculpas no sábado (2), mas se recusou a renunciar ao cargo, como exigem vários integrantes do partido.

Na imagem reproduzida pela mídia americana, dois jovens aparecem: um com o rosto pintado de preto e outro vestido com roupa utilizada por membros da seita Ku Klux Klan. A foto data de 1984 e foi originalmente publicada no anuário da escola onde Northam era estudante de medicina. Debaixo da imagem, uma citação é atribuída a ele: "Há mais bêbados velhos que médicos velhos neste mundo, então acho que vou tomar outra cerveja".

Na primeira reação, por meio de comunicado, na sexta-feira (1°), o governador afirmou que não pretende renunciar e tentou se justificar. "Um site publicou uma foto minha de um álbum da escola de medicina, em 1984, em uma fantasia que, evidentemente, é racista e insultante", escreveu, sem esclarecer se é a pessoa vestida de Ku Klux Klan ou fazendo "blackface", prática racista que consiste em se pintar de preto.

O governador da Virgínia, Ralph Northam, durante coletiva de imprensa, no sábado (2). REUTERS/ Jay Paul

"Não sou a pessoa na foto"

Mas, pressionado, Northam resolveu voltar atrás no sábado (2). Em uma coletiva de imprensa em Richmond, capital da Virgínia, o governador pediu desculpas pela polêmica provocada, mas negou ser ele na imagem. "Desde meu comunicado de ontem, refleti com minha família e meus ex-colegas de faculdade, e cheguei à conclusão que não sou a pessoa na foto", afirmou.

Embora alegue jamais ter visto a imagem, afirmou que esse tipo de encenação não o surpreende. "Na época e no local onde cresci, muitos gestos, que hoje são considerados odiosos - e com razão - eram normais", afirmou. 

Por outro lado, reconheceu já ter feito "blackface", em um concurso de dança em 1984, para imitar o cantor Michael Jackson. "Sempre gostei do Michael Jackson. Venci a competição porque aprendi a fazer o moonwalk", reiterou, fazendo referência à célebre coreografia do artista. Segundo ele, graças a um amigo negro, soube que se pintar de preto é uma prática racista, arrependendo-se da performance.

Pressão por renúncia

Para a mídia americana, é pouco provável que o pedido de desculpas de Northam convença a opinião pública. Personalidades importantes do partido democrata, como Joe Biden, Elizabeth Warren e Kamala Harris exigem sua renúncia. 

Do lado republicano, o presidente americano, Donald Trump, condenou duramente o governador da Virgínia. No Twitter, o magnata classificou o caso de "imperdoável".

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.