Ouvir Baixar Podcast
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 12/12 14h00 GMT
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 12/12 08h57 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 12/12 08h36 GMT
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 12/12 08h30 GMT
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 11/12 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 11/12 14h06 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 09/12 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 09/12 08h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Américas

Casal preso no México confessa ter assassinado cerca de 20 mulheres

media Policial nas ruas do México, onde número de assassinatos de mulheres não para de crescer (foto de ilustração) REUTERS/Tomas Bravo

Um casal detido na periferia da Cidade do México confessou ter assassinado cerca de 20 mulheres, algumas delas estupradas e desmembradas para venda de órgãos. Além de alto teor de crueldade dos crimes, o episódio chama a atenção para o número crescente de feminicídios no país.

Patrick John Buffe, correspondente da RFI no México

Quando Juan Carlos e sua mulher Patrícia foram detidos em Ecatepec, nas redondezas da capital mexicana, a polícia nem desconfiava do que estava prestes a descobrir: o casal transportava restos humanos em um carrinho de bebê. Em seguida, ao realizarem uma busca na residência dos dois, encontraram outros pedaços de cadáveres em baldes cobertos com cimento ou estocados na geladeira.

Juan Carlos admitiu rapidamente ter assassinado cerca de 20 mulheres. Ele também confessou ter estuprado várias vítimas, além de ter vendido os órgãos de algumas delas. A perícia médica já determinou que ele e sua mulher sofrem de distúrbios mentais.

Após a descoberta da polícia, centenas de moradores de Ecatepec saíram às ruas para protestar contra o desaparecimento de mulheres na região. Os manifestantes também chamam a atenção para o número de feminicídios na cidade, considerada uma das mais violentas do país.

Mas esse fenômeno não se restringe à Ecatepec. O assassinato de mulheres não para de crescer no México. Segundo as últimas estatísticas, 230 casos são registrados a cada mês no país, o que representa cerca de sete feminicídios por dia.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.