Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 20/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 20/09 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 20/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 19/09 15h00 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 16/09 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 16/09 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Américas

Venezuela diz que vai denunciar secretário-geral da OEA à ONU por "promoção" de intervenção militar

media Vice-presidenta da Venezuela, Delcy Rodriguez acusa Almagro de promover intervenção militar na Venezuela REUTERS/Marco Bello

Caracas denunciará o secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Almagro, ante as Nações Unidas "por promover intervenção militar" na Venezuela, depois de afirmar, na Colômbia, que essa opção não está descartada. A informação foi dada neste sábado (15) pela vice-presidente Delcy Rodríguez, no Twitter.

Almagro declarou na sexta-feira (14) que não se deve descartar "uma intervenção militar" na Venezuela para "derrubar" o governo de Nicolás Maduro, a quem responsabiliza pela crise humanitária e migratória dos venezuelanos.

"Sobre a intervenção militar para derrubar o regime de Nicolás Maduro, acredito que não devemos descartar qualquer opção", disse Almagro em entrevista coletiva na cidade colombiana de Cúcuta, na fronteira com a Venezuela.

"Almagro pretende ressuscitar os piores casos de intervenção militar imperialista em nossa região, cuja estabilidade está seriamente ameaçada pelo comportamento insano da pessoa que se desvia e abusa da secretaria-geral da OEA", assinalou Rodríguez.

Almagro, acusado de "ingerencista" por Maduro, justificou sua declaração diante das "violações dos direitos humanos e dos crimes contra a humanidade" cometidos pelo governo venezuelano contra seu povo.

"O sofrimento do povo, o êxodo induzido que está promovendo torna as ações diplomáticas prioritárias, mas não devemos descartar qualquer opção", afirmou ainda.

"Temos que recuperar a democracia na Venezuela para que todos os imigrantes venezuelanos possam voltar ao seu país e também recuperem sua liberdade e bem-estar", concluiu Almagro no Twitter de Cúcuta.

(Com informações da AFP)

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.