Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 17/11 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 17/11 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 17/11 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 17/11 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 17/11 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 16/11 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 16/11 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Américas

Polícia acredita que agressor de Toronto tinha mulheres como alvo

media Uma das vítimas do ataque perpetrado pelo canadense Alek Minassian, de 25 anos, em Toronto, na última segunda-feira (23). REUTERS/Carlo Allegri

A polícia do Canadá revelou na sexta-feira (27) que entre as dez pessoas mortas no atropelamento de segunda-feira (23) em Toronto, oito são do sexo feminino. Antes do ataque, o agressor publicou uma mensagem misógina no Facebook.

Alek Minassian, canadense de 25 anos, parece ter tido um alvo claro no ataque que realizou na última segunda-feira em uma rua do centro de Toronto: as mulheres. No total, o agressor matou oito pessoas do sexo feminino e dois homens. 

A polícia canadense descartou a pista terrorista desde o início das investigações e revelou que Minassian teria uma "profunda aversão por mulheres". Minutos antes de realizar o atropelamento, o agressor publicou uma enigmática mensagem, interpretada pelos investigadores como misógina. "A rebelião Incel já começou!", escreveu o canadense.

"Incel" é a abreviação do termo "involuntarily celibate", que, em português significa "involuntariamente solteiro". A expressão é utilizada por um movimento masculino e sexista, sem vida sexual ativa, e que culpa as mulheres pelo problema. O número de seguidores do "Incel" aumentou especialmente após o surgimento da mobilização feminista #MeToo.

Em sua publicação antes do atropelamento, Minassian também saúda Elliot Rodger, autor do massacre de Isla Vista, na Califórnia, em 2014. Rodger, na época com 22 anos, matou seis pessoas e feriu mais de 20 no campus da universidade de Santa Barbara, antes de se suicidar. Em um vídeo, ele explicou que seu ato foi um castigo às mulheres que o rejeitaram. 

Vítimas identificadas

De acordo com a polícia, todas as vítimas foram identificadas e suas famílias foram notificadas. Os mortos têm entre 22 e 94 anos. Outras 16 pessoas ficaram feridas no atropelamento. Minassian foi preso logo após o crime. 

Entre os mortos, há três mulheres idosas, Mary Elizabeth Forsyth, de 94 anos, Géraldine Brady, de 83 anos e Dorothy Sewel, de 80 anos. Beutis Renuka Amarasingha, de 45 anos, era mãe solteira de um menino de 7 anos e desempenhava um papel importante na comunidade de imigrantes do Sri Lanka no Canadá. 

Chung So-he, de 22 anos, era estudante de biologia molecular na universidade de Toronto. Outra vítima, Anne-Marie D'Amico, de 30 anos, trabalhava na sociedade financeira Invesco, a poucos metros do ataque. Também perto de seu local de trabalho morreu a executiva Andrea Bradden, de 33 anos. A sul-coreana Kim Ji-hun, de 22 anos, viajou ao Canadá para fazer seus estudos na universidade de Seneca.

Os dois homens que morreram atropelados por Minassian são o jordaniano Mounir Habib Najjar, que viajou a Toronto com a mulher para visitar o filho, e o sul-coreano Kang Chul-min, que tinha um caminhão de lanches na rua que foi palco do ataque.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.