Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/08 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 19/08 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 19/08 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 19/08 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 19/08 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/08 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Américas

EUA anunciam novas sanções contra Rússia, que prepara represálias

media O secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Steve Mnuchin. REUTERS/Carlos Barria/File photo

Os Estados Unidos anunciaram nesta quinta-feira (15) novas sanções contra 19 cidadãos e cinco organizações russas em conexão com a alegada interferência da Rússia durante a campanha presidencial norte-americana de 2016, e com ataques cibernéticos.

Segundo comunicado oficial do Departamento do Tesouro dos Estados Unidos, essas medidas destinam-se aos serviços de inteligência russos, já sancionados no passado, e também devem afetar uma agência nacional de propaganda russa.

As penalidades, diz o secretário do Tesouro, Steve Mnuchin, dizem respeito a 19 funcionários do governo e oligarcas russos "por suas atividades desestabilizadoras", e se traduzem no congelamento de seus ativos, removendo-os de qualquer acesso ao sistema financeiro dos Estados Unidos.

A Rússia reagiu imediatamente. O vice-ministro das Relações Exteriores, Sergei Riabkov, disse que Moscou estava preparando represálias, segundo a agência de notícias Interfax.

Todas as pessoas sancionadas aparecem em um documento de acusação emitido em 16 de fevereiro pelo Procurador Especial, Robert Mueller, que investiga a interferência russa no processo eleitoral norte-americano.

Os ataques cibernéticos mencionados pelo Departamento do Tesouro fazem alusão ao ransomware NotPetya, descoberto em junho de 2017 na Ucrânia antes de se espalhar para o mundo, causando estragos nos sistemas informáticos. A Grã-Bretanha acusou o exército russo de estar na origem dessa contaminação cibernética em fevereiro deste ano.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.