Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 18/10 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 18/10 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 18/10 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 18/10 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 18/10 09h30 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 14/10 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 14/10 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Américas

Trump diz que pode assinar Acordo de Paris "se houver mudanças"

media O presidente americano Donald Trump em Davos MARKUS SCHREIBER/AP

O presidente americano Donald Trump estaria disposto a voltar a radificar o Acordo de Paris, assinado em 2015 durante a Conferência para o Clima na capital, mas apenas se o texto incluir várias mudanças. A declaração foi dada em uma entrevista que vai ao ar neste domingo (28) no canal de TV britânico ITV.

Na entrevista, Trump diz que o acordo, assinado em 2015 durante a Conferência para o Clima de Paris, seria um desastre para os Estados Unidos, mas disse que poderia voltar atrás em sua decisão se o texto fosse modificado. Esta não é a primeira vez que o presidente americano dá sinais de que poderia rever seu ponto de vista, embora não avance concretamente nessa direção.

Em junho de 2017, o presidente americano anunciou que os Estados Unidos se retirariam do acordo de Paris, assinado pelo ex-presidente Barack Obama. Na época, Trump alegou que o compromisso para lutar contra o aquecimento global era "péssimo" para a economia americana. A decisão foi criticada internacionalmente.

Na entrevista que vai ao ar neste domingo, o presidente americano, entretanto, diz que pode assinar um "bom acordo", sem dar maiores detalhes sobre a questão. Segundo ele, "o documento atual é injusto para os Estados Unidos, seria preciso um acordo totalmente diferente. Sempre há uma chance de voltar atrás", ressaltou.

Trump diz que "adoraria assinar o acordo"

O tratado histórico foi assinado em Paris por 197 países, em 2015, depois de intensas negociações, com compromissos reais de redução das emissões de gases que provocam o efeito estufa e o aquecimento global.

Em trechos divulgados pelo canal britânico, Trump diz que "adoraria assinar o acordo" se ele fosse diferente. Ele já havia sinalizado em janeiro, de maneira evasiva, que poderia mudar de opinião.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.