Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 23/10 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 23/10 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 23/10 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 22/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 22/10 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 22/10 15h00 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 21/10 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 21/10 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Américas

Juiz bloqueia aplicação de novo decreto anti-imigração de Trump

media Donald Trump é acusado de discriminar os muçulmanos. REUTERS/Kevin Lamarque

Um juiz norte-americano bloqueou nesta terça-feira (17) a aplicação do novo decreto de Donald Trump visitando proibir a entrada nos Estados Unidos de pessoas vindas de oito países, a maioria deles muçulmanos. O texto deveria entrar em vigor esta semana.

Esse novo texto sobre a imigração havia sido revelado em setembro e visa Irã, Líbia, Síria, Iêmen e Somália, países que já haviam sido atingidos pelo decreto assinado por Trump no início do ano, mas que teve sua aplicação limitada após a intervenção da Suprema Corte. A lista conta ainda com Chade e Coreia do Norte, além de algumas personalidades venezuelanas.

Mas o juiz do estado do Havaí, Derrick Watson,decidiu suspender a aplicação desse novo decreto, poucas horas antes de sua entrada total em vigor. A medida tem valor nacional.

Segundo ele, o texto “sofre dos mesmos problemas de sua primeira versão”. Para o magistrado, o projeto do decreto não consegue demonstrar de que forma a entrada de mais de 150 milhões de estrangeiros dos países atingidos pela medida “provoca algum dano aos interesses dos Estados Unidos”.

Esse bloqueio relança a batalha diante dos tribunais sobre a vontade de Trump de fechar as fronteiras do país alegando razões ligadas à segurança. O presidente é acusado por seus opositores que ter elaborado o decreto visando de forma discriminatória os muçulmanos.

Os textos anteriores tinham uma duração limitada. Já o decreto que deveria entrar em vigor nesta semana pretende proibir de forma permanente a entrada nos Estados Unidos de pessoas vindas dos países da lista. 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.