Ouvir Baixar Podcast
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 16/12 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 16/12 14h06 GMT
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 16/12 14h00 GMT
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 16/12 08h57 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 16/12 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 16/12 08h30 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 15/12 08h36 GMT
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 15/12 08h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Américas

Reportagem de filho de Woody Allen por trás da queda de Weinstein

media Ronan Farrow Rob Kim/Getty Images for the 2015 Tribeca Film Festival/AFP ROB

Ronan Farrow, 29 anos, assina a reportagem que ajudou a derrubar o produtor de cinema Harvey Weinstein, publicada pela revista New Yorker. Ele é filho biológico do cineasta Woody Allen e da atriz Mia Farrow. Sua infância foi marcada por escândalos familiares.

Satchel Ronan O’Sullivan Farrow nasceu em 19 de dezembro de 1987, em Nova York, filho de um dos casais da moda na época, dos que estavam juntos, mas moravam separados. Allen e Farrow fizeram juntos 13 filmes em dez anos, entre obras-primas como “Hanna e Suas Irmãs” e “Rosa Púrpura do Cairo”.

Allen morava de um lado do Central Park, sozinho, e Farrow, de outro, com seus animais de estimação (dois gatos, um canário, um periquito, vários chinchilas e peixes tropicais, informa o New York Times) e muitos filhos – quatro biológicos e oito adotivos.

Escândalos sem fim

O casal explodiu quando Farrow descobriu, em 1992, fotos de sua filha Soon-Yi Prévin (adotada durante casamento da atriz com o maestro André Prévin), de 21 anos, nua, tiradas no apartamento de Allen, na época com 57 anos. A ruptura foi escandalosa e Soon-Yi mudou-se para o apartamento do cineasta, com quem vive até hoje.

Woody Allen and Soon-Yi Jamie McCarthy / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP

Satchel tinha apenas cinco anos na época e a isso seguiu-se um período belicoso da guarda do menino, com muita exposição midiática. As visitas de Allen aofilho eram sempre supervisionadas e falou-se muito do comportamento rebelde do menino em relação ao pai, limpando os beijos e fazendo acusações.  

Apesar da infância turbulenta, Satchel Ronan apresentou desempenho escolar brilhante. Superdotado, terminou o equivalente ao ensino médio aos 15 anos e, em 2009, aos 21 anos, formou-se em Direito pela conceituada Yale e passou pelo exame da Ordem.

Carreira brilhante

De 2001 a 2009, ele foi porta-voz do Unicef para a juventude, defendendo a causa de crianças e mulheres na crise do Darfur, Sudão, região que visitou com a mãe, embaixadora da Boa Vontade do Unicef.

Ronan Farrow Nelson Mandela ODD ANDERSEN / AFP

Em 2009, Farrow trabalhou na administração Obama, indicado como conselheiro especial para assuntos humanitários do escritório para o Afeganistão e Paquistão.  Em 2011, o jovem diplomata passou a ser conselheiro especial da então secretária de Estado Hillary Clinton para assuntos ligados aos jovens. Aos 23 anos, ele redigia os discursos de Richard Holbrooke, enviado especial de Barack Obama para o Afeganistão.

Em 2013, Mia Farrow aventou em entrevista à revista Vanity Fair que Ronan poderia ser filho de Frank Sinatra, com quem ela foi casada. Mais uma vez, Ronan voltou às páginas de fofocas. Mas, dessa vez, ele rebatou com humor, através de um Twitter: “Todos podemos ser possíveis filhos de Sinatra”. A filha mais nova de Sinatra, Tina, declarou que isso não seria possível pois o artista tinha passado por uma vasectomia.

Jornalismo

Escândalos à parte, depois do militantismo e da diplomacia, Ronan Farrow se firma agora como jornalista investigativo. Depois de deixar o governo Obama, Farrow se voltou para o jornalismo, contribuindo para vários veículos como The Guardian, The Wall Street Journal e o Los Angeles Times, entre outros. A reportagem sobre Weinstein foi publicada no dia 10 de outubro, cinco dias após a do New York Times, mas trouxe mais testemunhos que fortaleceram o caso contra o autoritário produtor. O New Yorker publica agora uma versão ampliada da reportagem original.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.