Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 23/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 23/10 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 23/10 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 23/10 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 23/10 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 23/10 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 22/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 22/10 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Américas

Furacão María chega a Porto Rico deixando rastro de destruição

media Com ventos de mais de 250km/h, furacão María se aproxima de Porto Rico. NASA/NOAA GOES Project

Depois de deixar pelo menos dois mortos em sua passagem pelo Caribe e de castigar as Ilhas Virgens americanas, o olho do furacão María atingiu Porto Rico nesta quarta-feira (20). Os ventos de até 255 km/h já deixaram um rastro de destruição em pequenas ilhas que dependem do turismo para viver e que também haviam sido duramente atingidas pela passagem do Irma.

O centro do furacão entrou na ilha perto de Yabucoa, sul de Porto Rico, às 6h15 locais (7h15 de Brasília). María se encontrava na categoria quatro, a penúltima da escala Saffir-Simpson, que mede esses fenômenos, informou o Centro Nacional de Furacões (NHC, na sigla em inglês). María deve cruzar o arquipélago americano durante o dia e, na sequência, passar ao norte da República Dominicana.

Cerca de 500 abrigos com capacidade para 67 mil pessoas foram abertos para enfrentar o furacão, que "pode ser o pior do (último) século em Porto Rico", afirmou o governador, Ricardo Rossello Nevares. Pelo menos 50 mil casas neste território americano continuam sem energia elétrica desde a passagem do furacão Irma na semana passada.

Antes de chegar a Porto Rico, onde Irma já fez dois mortos, María passou por Domenica, ex-colônia britânica de 73 mil habitantes que vive principalmente do turismo. A ilha já havia sido devastada pelo furacão David, em 1979, e pela tempestade tropical Erika, em 2015. Nenhuma vítima fatal foi registrada até agora, mas os danos materiais são irreparáveis, segundo o primeiro-ministro Roosevelt Skerrit.

Número especial para brasileiros

As Ilhas Virgens Americanas, onde Irma matou quatro pessoas, e as Ilhas Virgens Britânicas, onde nove vítimas fatais foram registradas na semana passada, também sofreram com a passagem de María. Mais de 1.300 militares britânicos foram enviados para a região.

O furacão também passou pelas Antilhas Francesas. Em Guadalupe, pelo menos duas pessoas morreram e outras duas continuam desaparecidas.  

O governo brasileiro colocou à disposição um número de telefone especial, no consulado do Brasil em Miami, para os cidadãos localizados em Porto Rico e Ilhas Virgens americanas. Para obter informações, basta ligar para +1 305 801 62 01.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.