Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 25/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 25/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 25/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 25/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 25/09 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 25/09 09h30 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 24/09 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 24/09 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Américas

João Doria visita a Argentina com ares de chefe de Estado

media O prefeito de São Paulo, João Doria, será recebido hoje pelo presidente da Argentina, Mauricio Macri. REUTERS/Paulo Whitaker

O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), será recebido nesta quinta-feira (14) pelo presidente argentino, Mauricio Macri, na Casa Rosada. Oficialmente, o objetivo da visita ao país é o de dar continuidade ao convênio bilateral de cooperação comercial entre São Paulo e Buenos Aires, assinado no mês passado. Extraoficialmente, no entanto, a agenda de Doria tem ares de visita de um líder de governo.

Do correspondente em Buenos Aires

O convênio firmado entre São Paulo e Buenos Aires visa atrair investimentos, além de promover o turismo e o talento de empreendedores. Em sua passagem pela capital argentina, Doria vai conhecer de perto a experiência de Buenos Aires em mobilidade urbana e cidade inteligente.

No período da manhã, Doria irá se reunir com empresários argentinos na residência do embaixador brasileiro, Sérgio Danese. Depois, ao meio-dia, pelo horário local, o prefeito de São Paulo tem um encontro com o chefe de governo do distrito federal de Buenos Aires, Horacio Larreta, e será recebido pelo presidente Macri na Casa Rosada, sede do governo argentino.

Doria diz identificar-se com Macri e vê no dirigente argentino uma fonte "inspiração". Para Doria, Macri é "um homem moderno e transformador", "mais de ação do que de discurso". Ambos têm origem na gestão empresarial, mas enquanto Doria chega à política por meio de um partido tradicional (PSDB), Macri fundou o seu próprio partido, o Proposta Republicana (PRO).

Embaixador sai de Brasília para acompanhar visita de Doria

Outro indício de uma visita com ares de chefe de Estado é a presença do embaixador argentino em Brasília, Carlos Magariños. Um embaixador só costuma deslocar-se para acompanhar uma autoridade, quando o assunto tem alta relevância para a relação bilateral.

Doria retribui a visita do seu colega argentino, Horacio Larreta, quem esteve em São Paulo no mês passado. A vinda à Argentina acontece em meio a viagens do prefeito de São Paulo tanto no Brasil quanto no exterior. A quantidade de viagens reforça a tese de um João Doria em "campanha pré-presidenciável".

Esta é a segunda visita de Doria a Buenos Aires, primeiro destino internacional do prefeito em outubro do ano passado, de onde levou o costume da administração Macri de não usar gravata na função pública.

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.