Ouvir Baixar Podcast
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 19/10 08h57 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 19/10 08h36 GMT
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 19/10 08h30 GMT
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 18/10 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 18/10 14h06 GMT
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 18/10 14h00 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 15/10 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 15/10 08h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Américas

Lucia Topolansky, ex-guerrilheira e mulher de José Mujica, assume vice-presidência no Uruguai

media Lucía Topolansky durante campanha presidencial em 2009. Wikipedia / Zeroth

A ex-primeira-dama e ex-guerrilheira Lucía Topolansky, de 72 anos, assumiu nesta quarta-feira (13) o cargo de vice-presidente do Uruguai, após a renúncia de Raúl Sendic no sábado.

Depois de uma votação no parlamento, que aceitou a renúncia de Sendic, Topolansky passará a presidir a Assembleia Geral (deputados e senadores), posto exercido pelo vice-presidente.

A renúncia de Sendic, que deixou seu posto em meio a um escândalo sobre o uso de cartões corporativos para gastos pessoais quando presidiu a companhia estatal de petróleo ANCAP e por apresentar um título acadêmico que não possui, foi aprovada pelos 123 legisladores presentes na Palácio Legislativo.

Após a votação, "Lucia Topolansky passará a ocupar a presidência da Assembleia Geral e da Câmara dos Senadores", leu a senadora Monica Xavier, da governista Frente Ampla.

Primeira mulher a ocupar posto

Topolansky, mulher do ex-presidente José Mujica (2010-2015), integra a formação mais votada nas últimas eleições, e isso a colocou na linha de sucessão presidencial.

Mujica, chefe desse grupo, não pode exercer a vice-presidência, porque a Constituição do Uruguai impede um ex-presidente de ocupar novamente a primeira magistratura por até cinco anos após deixar o cargo.

A ex-guerrilha que integrou o Movimento de Libertação Nacional MLN-Tupamaros passou 13 anos presa em sua juventude, pouco antes do golpe de Estado de 1973. Ela é a primeira mulher a ocupar a vice-presidência no Uruguai.

(com informações da AFP)

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.