Ouvir Baixar Podcast
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 15/12 08h57 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 15/12 08h36 GMT
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 15/12 08h30 GMT
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 14/12 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 14/12 14h06 GMT
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 14/12 14h00 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 10/12 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 10/12 08h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Últimas notícias
  • União Europeia aprova segunda fase de negociações sobre o Brexit
Américas

Irma provoca mortes e perde força na Flórida

media A marina de South Beach, em Miami, no momento em que Irma chegava ao sul da Flórida. REUTERS/Carlos Barria

O gigantesco furacão Irma ganhou força neste domingo (10) e atingiu com fortes ventos as ilhas do sul da Flórida, onde provocou pelo menos três mortes depois que 6,3 milhões de pessoas receberam ordem para abandonar suas casas

Nos últimos dias, Irma provocou inundações no norte de Cuba e deixar 27 mortos no Caribe. As autoridades da Flórida anunciaram três mortes em acidentes de trânsito provocados pelos fortes ventos e chuvas intensas.

A policial Julie Bridges, 42 anos, faleceu neste domingo em uma colisão frontal perto da cidade de Sarasota, na costa oeste da Flórida, informou o xerife Arnold Lanier. "Ela trabalhou a noite toda em um abrigo e seguia para casa para pegar alguns mantimentos no momento do acidente", disse o oficial.

Outro motorista morreu em um acidente quando seguia para o trabalho. A terceira vítima foi um homem que faleceu no sábado (9) em um acidente perto de Key West, em Florida Keys, primeiro conjunto de ilhas do estado atingido pelo Irma. O caminhão que ele dirigia bateu contra uma árvore.

O olho do furacão, agora de categoria 4, afeta o conjunto das ilhas de Florida Keys com rajadas de vento intensas de até 215 km/h e segue a uma velocidade de 13 km/h para a costa oeste, anunciou o Centro Nacional de Furacões (NHC) às 10h locais (11h de Brasília).

"Palmeiras no chão"

De sua janela no segundo andar de um pequeno edifício em Key Haven, na ponta do arquipélago, Maggie Howes descreveu uma tempestade de violência sem precedentes. "Os barcos estão literalmente quebrados, as palmeiras estão no chão, as linhas de energia elétrica estão caindo", afirmou por telefone ao canal CNN a socorrista, que torce pelo fim do furacão.

"É absolutamente impossível sair no momento. Ninguém consegue suportar os ventos que observo pela janela", completou.

Apesar das ordens de evacuação obrigatórias, muitos moradores optaram por permanecer nesta faixa de terra de baixa altitude e suscetível a inundações. "Não sabemos exatamente quantas pessoas ficaram nas Keys. Os ventos chegam a 215 km/h, a chuva a entre 25 e 60 centímetros. É uma zona muito baixa. A maré chega a 4,6 metros. Espero que todos tenham escutado as instruções", disse o governador da Flórida, Rick Scott, ao canal ABC.

Cuba inundada

Irma castigou Havana na noite de sábado (9) com fortes ventos, inundando a capital cubana e deixando boa parte de seus dois milhões de habitantes sem energia elétrica.

Havana, no estreito da Flórida, foi varrida durante a noite por ventos de mais de 150 km/h e uma alta de maré sem precedentes, informaram as autoridades, destacando que os efeitos do furacão permanecerão afetando a cidade até segunda-feira.
 

(com informações da AFP)

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.