Ouvir Baixar Podcast
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 19/11 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 19/11 14h06 GMT
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 19/11 14h00 GMT
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 19/11 08h57 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 19/11 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 19/11 08h30 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 17/11 08h36 GMT
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 17/11 08h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Américas

Na Colômbia, papa pede maior atuação da Igreja

media Papa chega no papamóvel para missa em Medellin, Colômbia. REUTERS/Stefano Rellandini

Diante de 1 milhão de fiéis reunidos em Medellín, o papa Francisco pediu neste sábado (9) à Igreja que se renove, deixe a zona de conforto e promova a reconciliação em países como a Colômbia, que tentam superar um conflito armado sangrento de cinco décadas.

"Como Jesus 'chacoalhava' os doutores da lei para que saíssem da inércia, agora também a Igreja é 'chacoalhada' pelo Espírito para que deixe sua zona de conforto e seus apegos. A renovação não nos deve causar medo", disse o pontífice durante a missa em Medellín, antiga capital do narcotráfico.

"Na Colômbia, há várias situações que reclamam dos discípulos o estilo de vida de Jesus, principalmente o amor convertido em feitos de não violência, reconciliação e paz", assinalou.

Francisco, que oficiou hoje sua terceira homilia na Colômbia, pediu aos curas e padres que se envolvam, "embora, para alguns, isto pareça se sujar ou se manchar".

Mais ousadia, pede papa

"A Igreja na Colômbia está convocada a se empenhar com mais ousadia na formação de discípulos missionários", assinalou Jorge Bergoglio, de 80 anos.

Em sua visita à Colômbia, que termina neste domingo (10) em Cartagena, Francisco insistiu em sua mensagem de paz e reconciliação, no momento em que o país está em vias de encerrar o último conflito armado das Américas, que deixou mais de 7 milhões de vítimas, entre mortos, desaparecidos e deslocados, em mais de meio século.
   

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.