Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 20/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 20/09 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 20/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 19/09 15h00 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 17/09 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 17/09 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Américas

Maior terremoto em 100 anos provoca vítimas e risco de tsunami no México

media Milhares de moradores da Cidade do México saíram de suas casas quando receberam o alerta sísmico, que avisa a população um minuto antes de um tremor. 08/09/17 REUTERS/Edgard Garrido

O México foi atingido na madrugada desta sexta-feira (8) por um terremoto de magnitude 8.4, o maior dos últimos 100 anos, deixando pelo menos dois mortos. O epicentro do tremor foi registrado no Oceano Pacífico, a 100 quilômetros do Estado de Chiapas, mas foi sentido até na capital, Cidade do México.

Devido ao terremoto, autoridades alertam também para risco de tsunami no litoral mexicano, mas também na Guatemala, El Salvador, Costa Rica, Nicarágua, Panamá, Honduras e Equador.

O presidente mexicano Enrique Pena Nieto afirmou no Twitter que "os protocolos de proteção civil" foram desencadeados por causa do impacto do terremoto. "Foi um forte seísmo, mas, por enquanto, nenhum dano foi relatado", declarou Luis Felipe Puente, chefe da Proteção Civil do México, no canal Televisa, após o terremoto.

O choque, que também foi sentido na Guatemala, ocorreu às 23h49 locais, surpreendendo muitos habitantes que dormiam.

Relatos de habitantes

"Eu ouvi uma explosão (...) Os semáforos se movimentaram de maneira impressionante", afirmou Mayaro Ortega, uma psicóloga de 31 anos que mora no norte da Cidade do México e que teve que deixar o prédio onde vive.

"Eu estava dirigindo quando começou a tremer e o veículo foi abalado", disse Cristiano Rodríguez, um piloto de Uber, de 28 anos, na capital. O México está localizado em um ponto de encontro entre cinco placas tectônicas e registra uma forte atividade sísmica.

Em setembro de 1985, um terremoto de 8.1 graus de magnitude devastou grande parte da capital e matou mais de 10 mil pessoas. Desde essa tragédia, as autoridades mexicanas endureceram as regras para a construção civil e desenvolveram um sistema de alerta, usando um sistema de sensores costeiros.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.