Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 25/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 25/09 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 25/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 24/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 24/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 24/09 15h00 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 24/09 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 24/09 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Américas

Furacão Irma destrói 95% da ilha de São Martinho no Caribe

media Porto de São Martinho inundado depois da passagem do furacão Irma nesta quarta-feira (6). Netherlands Ministry of Defence/Handout via REUTERS

O furacão Irma devastou as ilhas de São Martinho e São Bartolomeu, nas Antilhas Francesas, além de Antígua e Barbuda, no mar do Caribe. O balanço mais recente de vítimas indica, até o momento, oito mortos e 23 feridos em São Martinho e um morto em Antígua e Barbuda, onde 90% das construções foram destruídas e a metade da população está desabrigada.

Cerca de 95% do território francês da ilha de São Martinho, de 70.000 habitantes, foram destruídos pelo furacão de categoria 5, de acordo com autoridades locais. O olho do ciclone, de quase 50 km de diâmetro, permaneceu nessa quarta-feira (6) durante uma hora e meia sobre a ilha de São Bartolomeu, para depois se deslocar para São Martinho, dividida entre uma zona francesa e outra holandesa.

Nas redes sociais, fotos e vídeos revelam a devastação das ilhas. Telhados das casas e árvores foram arrancados pelos ventos e as ruas ficaram inundadas. As duas ilhas estão sem eletricidade e ficaram sem comunicação até a manhã desta quinta-feira (7), quando a rede de telefonia celular foi parcialmente restabelecida.

O primeiro-ministro de Barbuda, Gaston Browne, informou que 90% das construções da ilha estão danificadas. Durante a madrugada, Irma passou pelo extremo de Porto Rico e evolui no Atlântico na direção da República Dominicana, do Haiti e Cuba. 

Segundo especialistas, após 33 horas de atividade intensa na categoria 5, Irma já é o furacão mais violento registrado no mundo pelas agências de meteorologia. O ciclone deve permanecer na categoria máxima nas próximas horas e baixar, eventualmente, para a categoria 4 quando atingir o estado americano da Flórida no fim de semana.

Três furacões simultâneos no Atlântico

A ministra francesa responsável pelos territórios ultramarinos, Annick Girardin, chegou ontem à ilha da Guadalupe, também francesa, acompanhada de militares e bombeiros e levando reforço material. Segundo o presidente francês, Emmanuel Macron, um "plano de reconstrução será implantado o mais rápido possível" em São Martinho e São Bartolomeu. Ele anunciou que visitará as zonas atingidas pelo Irma "muito em breve".

 

Outros dois furacões se formaram ontem no oceano Atlântico: José, a 1.600 km das ilhas devastadas nas Antilhas Francesas, e Kátia, que evolui de maneira errática na costa do estado mexicano de Veracruz, no Golfo do México.

Com agências internacionais

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.