Ouvir Baixar Podcast
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 20/11 08h30 GMT
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 19/11 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 19/11 14h06 GMT
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 19/11 14h00 GMT
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 19/11 08h57 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 19/11 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 19/11 08h30 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 17/11 08h36 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Américas

Ex-guerrilha, Farc se torna o novo partido político da Colômbia

media Rodrigo Londono, conhecido como Timochenko, durante discurso no Congresso das FARC em Bogotá, em 27 de agosto de 2017. REUTERS/Jaime Saldarriaga

O partido Farc será oficialmente apresentado à Colômbia nesta sexta-feira (1) dando início a uma nova etapa do movimento dos ex-guerrilheiros na política no país, historicamente dominada por conservadores e liberais.

Os rebeldes da ex-guerrilha finalizaram seu desarmamento em novembro, após anos de negociação, quando assinaram um acordo de paz com o governo. Pelo Twitter, Rodrigo Lodoño, líder da agora Farc - Força Alternativa Revolucionária do Comum - explicou que a sigla foi mantida por decisão da maioria dos integrantes, em um congresso realizado no domingo em Bogotá.

Durante o evento, cerca de 1,2 mil membros do novo partido também definiram as diretrizes do movimento político e seus candidatos para as eleições de 2018. No entanto, o novo partido Farc terá um duro e longo trabalho pela frente: mais de 80% dos colombianos consideram negativa a imagem do movimento.

Debate sobre o novo nome

O debate sobre o nome do novo partido foi um dos mais esperados durante o congresso dos ex-guerrilheiros, uma vez que a sigla Farc é sinônimo de massacres e sequestros para muitos colombianos.

Pouco antes, Ivan Marquez, representante da guerrilha durante as negociações de paz, propôs o nome "Força Alternativa Revolucionária da Colômbia" e insistiu no domingo que as Farc se tornariam um "partido revolucionário".

Mas em uma consulta lançada no Twitter por Rodrigo Londoño, foi o nome "Nueva Colômbia" que ganhou com 36% dos 10.387 votos. "Eles decidiram manter a sigla Farc porque querem manter sua identidade com o campo", declarou o sociólogo e antropólogo Fabian Sanabria, alertando que "a escolha é espantosa" porque "as pessoas esperavam por outra coisa". Isso não os aproximará das classes médias, nem da população urbana", concluiu.

Os ex-guerrilheiros também apresentaram seu novo emblema, inspirado por outros movimentos socialistas, com uma rosa vermelha decorada com uma estrela em seu centro, e as letras Farc inscritas em verde.

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.