Ouvir Baixar Podcast
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 20/10 08h30 GMT
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 19/10 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 19/10 14h06 GMT
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 19/10 14h00 GMT
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 19/10 08h57 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 19/10 08h36 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 15/10 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 15/10 08h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.

Será que a família Obama já estaria preparando sua volta ao poder?

Será que a família Obama já estaria preparando sua volta ao poder?
 
Tom informal marcou encontro de Barack Obama com primeiro-ministro canadense Justin Trudeau em Montreal no mês de junho. Prime Minister's Office/ www.pm.gc.ca

A revista francesa Le Point desta semana traz uma longa reportagem sobre a rotina do ex-presidente norte-americano Barack Obama e sua família. Seis meses após ter deixado o poder, o ex-chefe da Casa Branca tem se encontrado com vários líderes mundiais, sendo muito mais bem recebido que Donald Trump.

A reportagem, realizada pela correspondente da revista em Washington, questiona quais seriam as ambições futuras de Barack Obama. O texto relata que o democrata tem aproveitado as férias viajando pelo mundo com a família, principalmente em lugares paradisíacos, como o Tahiti, Bali, ou ainda uma ilha privada no Caribe, propriedade de Richard Branson, o dono do grupo Virgin.

Além disso, comenta Le Point, desde que Obama deixou o poder, todos os passos da família são seguidos como se eles fossem estrelas. Como em fevereiro, quando a passagem do ex-presidente por uma loja da Stakbucks em Nova York criou tumulto na cidade. “As redes sociais dissecam todos os movimentos de Michelle e Barack Obama como se eles fossem Beyoncé e Jay-Z”, compara o texto.

Porém, o que tem interessado muito mais em Washington são os encontros extraoficiais que o ex-presidente tem com os líderes mundiais, apesar das férias da política. As imagens de Obama em um restaurante de Montreal com o primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, mostram que o democrata tem as portas abertas junto aos dirigentes de vários países, frisa a reportagem.

“Antes do encontro com o canadense, o ex-presidente norte-americano se encontrou com os ex-primeiros-ministros da Itália, Matteo Renzi, e do Reino Unido, David Cameron. Já no início de julho, Obama se reuniu com os presidentes da Indonésia e da Coreia do Sul, sem esquecer das inúmeras conversas telefônicas com o francês Emmanuel Macron”, relata Le Point.

Acolhido com sorrisos por Angela Merkel

Em todos os casos, Obama é recebido de forma amistosa, o que destoa do tratamento dado com frequência ao atual presidente Donald Trump, analisa a revista, usando como exemplo a chanceler alemã Angela Merkel, que se encontrou com o democrata e o republicano no mesmo dia no mês de maio. “O contraste não podia ser mais visível. Pela manhã, a líder europeia não poupava sorrisos durante um evento com Obama, que respondia com elogios a ‘uma de suas parceiras favoritas’. Já à tarde, Merkel retomou uma cara carrancuda enquanto ouvia Trump criticar a Otan em Bruxelas”, compara a reportagem.

O dinamismo do ex-chefe da Casa Branca incomoda os republicanos em Washington, que já reclamaram da onipresença de Obama na cena internacional. O democrata, no entanto, sempre disse que não pretendia entrar em conflito com Trump e que esse não era seu papel.

No entanto, várias vezes Obama criticou seu sucessor nos últimos seis meses. Mesmo se não alfinetou diretamente Trump, o democrata já saiu algumas vezes do silêncio para defender o Obamacare, o acordo contra o aquecimento climático, ou se opor às medidas anti-imigração impostas pelo milionário republicano.

Além disso, todos também estão de olho no que pretende fazer Michelle Obama, que aparece muito mais que a atual primeira-dama Melania Trump, e que muitos veem como uma possível presidenciável. Será que após Barack agora será a vez de Michelle Obama ofuscar Donald Trump, insinua a revista francesa Le Point.


Sobre o mesmo assunto

  • Obama

    Casal Obama assina contrato milionário para publicar memórias

    Saiba mais

  • Estados Unidos

    Governo Trump enterra programa de Michelle Obama contra obesidade infantil

    Saiba mais

  • Obama/despedida

    Obama vai fazer discurso de despedida em Chicago

    Saiba mais

  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. ...
  5. seguinte >
  6. último >
Programas
 
O tempo de conexão expirou.