Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 25/05 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 25/05 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 25/05 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 25/05 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 25/05 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 25/05 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 24/05 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 24/05 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Américas

Ataque a base militar na Venezuela deixa um morto e um ferido

media Vídeo nas redes sociais anunciou ataque em Valência Reuters

Um ataque neste domingo (6) a uma base militar no norte da Venezuela deixou um dos agressores morto e outro gravemente ferido, informou em um vídeo o comandante do Exército, o general Jesús Suárez Chourio. O incidente ocorreu em um forte na cidade de Valência.

O ministro da Defesa, Vladimir Padrino, disse em comunicado que foi "um ataque terrorista do tipo paramilitar", executado por "um grupo de delinquentes civis vestindo uniformes militares e por um primeiro-tenente em situação de deserção".

"Faz parte dos planos de desestabilização e conspiração contínua" para "evitar que se consolide o renascimento da nossa república", completou Padrino, em referência à Assembleia Constituinte de Nicolás Maduro.

Os arredores do forte, sede da 41ª Brigada do Exército, foram protegidos por helicópteros e militares em tanques e fortemente armados, num ambiente de alta tensão.

"Ativistas da extrema-direita"

Os invasores "foram repelidos imediatamente", destacou o ministro e general Remigio Ceballos, comandante estratégico operacional, que ainda informou que sete invasores foram capturados e "estão fornecendo dados".

Padrino apontou que essas pessoas confessaram ter sido contratadas por "ativistas da extrema-direita venezuelana em conexão com governos estrangeiros" e que "parte do grupo conseguiu furtar algumas armas", que "órgãos de segurança já estão buscando".

Maduro denuncia frequentemente planos de golpe de Estado da oposição, apoiada pelos Estados Unidos.

O incidente foi revelado após a divulgação nas redes sociais e em vários meios de comunicação de um vídeo supostamente gravado na 41ª Brigada Blindada de Valência, no qual um homem se apresenta como capitão e declara "rebelião" contra o governo.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.