Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 20/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 20/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 20/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 20/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 20/09 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 20/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/09 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Américas

Autores do hit mundial "Despacito" acusam Maduro de usar música "para ideal fascista"

media Rapper Daddy Yankee (esq.) e Luis Fondi ficaram furiosos por ter seu sucesso usado por Maduro para fins políticos Divulgação

O hit global foi utilizado por Nicolás Maduro para promover, na Venezuela, as eleições de sua Assembleia Constituinte. Revoltados, os autores porto-riquenhos definiram o abuso como "marketing nefasto", chamando o presidente de criminoso.

A música "Despacito", cujo ritmo reggaeton latino invadiu o planeta, conseguiu um recorde histórico: ser a mais ouvida de todos os tempos nas plataformas streaming do mundo todo. Um sucesso que acabou sendo explorado, de forma indevida, pelo presidente da Venezuela. No domingo (23), na televisão oficial, Nicolás Maduro entoou a canção com uma letra para promover a sua polêmica Constituinte, boicotada pela oposição: "Devagar, pega tua cédula ao invés de armas e expresse suas ideias sempre na paz e na calma".

Os cantores Luis Fondi e Erika Ender, e o rapper Daddy Yankee, autores da canção, reagiram violentamente ao uso "ilegal e nefasto" do seu sucesso: "Que você se aproprie ilegalmente de uma música não é nada comparado ao crime que você comete e cometeu na Venezuela. Esse regime ditatorial é uma palhaçada, não somente para meus irmãos venezuelanos, mas também para o mundo inteiro. Com esse plano de marketing nefasto, você continuará a projetar sozinho o seu ideal fascista", escreveu Daddy Yankee na sua conta Instagram, em uma mensagem escrita diretamente para o presidente.

"Em nenhum momento ele me consultou, eu também não lhe dei autorização de usar ou mudar "Despacito" para fins políticos", reclamou Luis Fonsi.

Oposição à Constituinte mobilizou países e instituições

Nas últimas semanas, a ONU, o Mercosul, a União Europeia e diversos países, inclusive o Brasil, fizeram um apelo a Nicolás Maduro para que suspendesse a Constituinte, em vão. Um referendo simbólico realizado pela oposição no domingo passado demonstrou que grande parte da população desaprova a iniciativa política, que deve perenizar a presença de Maduro no poder.

Leia abaixo a mensagem de Daddy Yankee em sua conta Instagram:

"O que se pode esperar de uma pessoas que roubou tantas vidas de jovens sonhadores e de um povo que busca um futuro melhor para seus filhos? Que você se aproprie ilegalmente de uma canção (Despacito) não se compara com o crime que comete e cometeu na Venezuela. Você é uma enganação, não apenas para os irmãos venezuelanos, mas para o mundo inteiro, com seu regime ditatorial. Com esse plano nefasto de marketing, você sá vai continuar destacando o seu ideal fascista, que matou centenas de heróis e deixou mais de 2000 feirods. Como co-autor do tema, também me uno às expressões da co-autora da canção "Despacito"@erikaender.#NoAprobado #BastaYa #venezuelalibre"

Veja o vídeo com a versão de Nicolás Maduro de "Despacito"

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.