Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 26/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 26/09 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 26/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 25/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 25/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 25/09 15h00 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 24/09 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 24/09 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Américas

Morre ator Martin Landau, vencedor do Oscar e espião famoso de "Missão Impossível"

media O ator Martin Landau com o Oscar de melhor ator coadjuvante por seu papel em "Ed Wood", em 1995 REUTERS/Blake Sell

O ator americano Martin Landau, vencedor de um Oscar por seu trabalho em "Ed Wood", em 1995, morreu aos 89 anos. Ele também ficou famoso no Brasil como um dos agentes secretos da série "Missão Impossível".

Martin Landau, nascido no bairro nova-iorquino do Brooklyn, morreu no sábado (15)  por complicações inesperadas que sofreu durante uma internação em um hospital de Los Angeles, de acordo com um comunicado de seu representante, Dick Guttman. "Estamos tomados pela tristeza ao informar da morte do icônico ator Martin Landau", explicou Guttman. "Acabara de comemorar seus 89 anos".

Ele começou carreira nos palcos da Broadway, até que, em 1959, fez sua estreia no cinema pelas mãos de Alfred Hitchcock no filme "Intriga internacional", junto com Gary Grant e Eva Marie Saint. Posteriormente, participou de "Cleópatra" (1963), com Elizabeth Taylor e Richard Burton e "A maior história jamais contada" (1965). Nesse mesmo ano, entrou para o elenco original de "Missão Impossível" no papel do mestre do disfarce Rollin Hand que lhe valeu um Globo de Ouro.

Sua carreira continuou como estrela da série britânica de ficção científica "Espaço 1999", ao lado de sua esposa Barbara Bain. O casal teve duas filhas, a atriz e bailarina Juliet Landau e a produtora e diretora Susan Landau Finch. Eles se separaram em 1993.

Nos anos 80 voltou ao cinema com "Tucker: um homem e seu sonho" (1988), de Francis Ford Coppola, e "Crimes e pecados", de Woody Allen. Pelos dois papeis, foi indicado ao Oscar de ator coadjuvante. Mas conquistou a ambicionada estatueta de coadjuvante em 1995 com o biopic "Ed Wood", de Tim Burton, onde viveu o ator Bela Lugosi. "Foi estranho", dizia Landau, recordando como chegou a esse papel em uma entrevista em 1994. "Tim me ligou e me disse: 'Você já trabalhou com todo mundo, fez filmes muito bons, com grandes diretores, e fez filmes de mau gosto, com péssimos diretores. Você tem uma presença e muitas coisas que lembram (Lugosi)'", contou.  "Eu estava em choque. Ele disse ainda: 'Te botei na minha cabeça e não consigo te tirar'", acrescentou. Ele voltou a trabalhar com Burton em "A Lenda do Cavaleiro Sem Cabeça". Nos últimos anos atuou em série de TV como "Entourage" e "Without a Trace".

Seu último trabalho foi "The Last Poker Game", que estreou este ano no Festival de Cinema de Tribeca.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.