Ouvir Baixar Podcast
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 23/11 08h57 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 23/11 08h36 GMT
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 23/11 08h30 GMT
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 22/11 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 22/11 14h06 GMT
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 22/11 14h00 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 19/11 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 19/11 08h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Américas

Acordo de Odebrecht com justiça do Equador não inclui impunidade

media DR

A construtora Odebrecht selou um acordo com a Justiça equatoriana na sexta-feira (9) sobre acesso a provas em escândalo de corrupção, sem incluir, no entanto, cláusula de impunidade.

A Justiça do Equador e a construtora Odebrecht firmaram um acordo sobre o acesso a documentos e evidências para dar prosseguimento à investigação sobre o escândalo de corrupção envolvendo obras públicas, mas o acerto não garante imunidade, informou nesta sexta-feira o procurador Carlos Baca.

O acordo "é exclusivamente em matéria penal e permitirá, como já permitiu à Procuradoria-Geral do Estado, acesso a todas as evidências e documentos" para levar à Justiça os envolvidos no esquema de subornos, disse Baca aos jornalistas após regressar do Brasil.

Baca destacou que "sob nenhum conceito" o convênio concede imunidade a quem cooperar com a Justiça equatoriana, e que ninguém ficará imune às ações judiciais e penais que a Procuradoria promove".

Detalhes secretos

Os detalhes do acordo - que entrou em vigor na véspera - serão mantidos sob sigilo e ficarão fora dos expedientes judiciais da investigação, que até o momento colocou oito pessoas em prisão preventiva ou prisão domiciliar no Equador.

Baca assinalou que foram obtidas "novas e fundamentais evidências" sobre o caso Odebrecht, empresa que segundo o departamento americano de Justiça pagou entre 2007 e 2016 o total de US$33,5 milhões em subornos a funcionários equatorianos.

As novas evidências "consistem em gravações de áudio, gravações de vídeo e uma abundante quantidade de documentos", ressaltou o Procurador.

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.