Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 16/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 16/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 16/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 16/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 16/09 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 16/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 15/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 15/09 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Américas

Trump desembarca na Arábia Saudita, primeira etapa de seu giro internacional

media O presidente Trump é recebido no aeroporto de Riad pelo rei Salman da Arábia Saudita, neste sábado 20 de maio de 2017. REUTERS/Jonathan Ernst

Fragilizado pelas recentes revelações sobre a suposta ingerência russa na campanha eleitoral americana, Donald Trump chegou neste sábado (20) a Riad, na Arábia Saudita, início de sua primeira viagem internacional como presidente americano. No aeroporto, ele foi recebido com pompa pelo rei saudita Salman.

O Air Force One pousou pouco depois das 10h da manhã (4h de Brasília) no aeroporto internacional Rei Khaled de Riad. Ao descerem do avião, Trump e a primeira-dama Melania, foram recepcionados pelo rei Salman. Caminhando com o apoio de uma bengala, o monarca saudita acompanhou o casal presidencial até o salão de honra do aeroporto. Ivanka, a filha mais velha de Trump, e seu marido Jared Kushner integram a delegação oficial americana.

O rei Salman, grande aliado dos Estados Unidos, mas que se afastou de Obama devido ao acordo nuclear iraniano, pediu hoje "uma nova parceria" entre os Estados Unidos e os países muçulmanos.

Novas revelações

Ao desembarcar, o presidente americano parecia descontraído, apesar das novas revelações sobre a suposta ligação entre integrantes de sua campanha eleitoral e a Rússia. Enquanto o presidente estava a caminho de Riad, o New York Times publicou que na semana passada, ao receber o chanceler russo, Serguei Lavrov, e o embaixador da Rússia em Washington, Serguei Kisliak, Trump teria declarado que ter demitido o chefe do FBI, James Comey, acabou "com uma grande pressão". O presidente também teria dito que Colmey "era louco".

Outro fator de preocupação suplementar para a Casa Branca é o depoimento que ex-diretor do FBI fará ao Senado. Comey, que era o responsável pelas investigações sobre os ciberataques e a suposta ingerência russa, foi demitido de forma inesperada há dez dias por Trump. Segundo o New York Times, ele teria se negado, como pedido pelo presidente, a arquivar as denúncias contra o ex-conselheiro de Segurança Nacional Michael Flynn, suspeito de manter contatos com Moscou. Potencialmente explosiva, a audiência de Colmey no Senado está marcada para o último final de semana de maio.

As revelações sobre esse escândalo se suscedem, desde a demissão de Colmey, em 9 de maio. O presidente esperava se distanciar da crise política em Washington durante essa viagem de oito dias por cinco países, mas está fragilizado e o escândalo por influenciar seu giro diplomático.

Discurso sobre o Islã

Donald Trump se reunirá este sábado com autoridades sauditas e vai pronunciar no domingo (21) um aguardado discurso sobre o Islã diante de cerca de 50 dirigentes de países muçulmanos, reunidos em Riad. Da Arábia Saudita, Trump irá a Israel, Cisjordânia, Roma, e Bruxelas. A primeira viagem internacional do presidente americano se encerra nos dias 26 e 27 de maio, na Sicília, onde ele participa da cúpula do G7.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.