Ouvir Baixar Podcast
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 21/05 09h30 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 26/05 09h30 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 21/05 09h33 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 26/05 09h36 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 26/05 09h57 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 26/05 15h00 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 26/05 15h06 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 26/05 15h27 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Américas

Tragédia no Haiti: motorista de ônibus em fuga mata 38 pessoas

media Um motorista de ônibus em fuga matou 38 pessoas e feriu outras 13 na cidade de Gonaivez, a 150 km da capital do Haiti, informaram autoridades da Defesa Civil. REUTERS/Andres Martinez Casares TPX IMAGES OF THE DAY

Um motorista de um ônibus matou 38 pessoas e feriu outras 13 neste domingo (12) na cidade de Gonaives, a 150 km de Porto Príncipe, capital do Haiti, segundo informaram autoridades da Defesa Civil local.

Segundo testemunhas, o motorista atropelou primeiro dois pedestres, matando um deles, e, durante a tentativa de fuga, atropelou três grupos de músicos que caminhavam a pé no acostamento, confirmaram as autoridades.

Os serviços de emergência chegaram rapidamente ao local do atropelamento e levaram os feridos para o hospital de Gonaives, enquanto a polícia continha a revolta da população. "As pessoas que não se feriram tentaram incendiar o ônibus com os passageiros dentro", detalhou Faustin Joseph, coordenador da Defesa Civil no estado de Artibonite. "O ônibus, seus passageiros e o motorista foram levados à delegacia de Gonaives", relatou.

No hospital La Providence, os sobreviventes do acidente, que aconteceu pouco antes das 4h da manhã locais, ainda estavam em choque. "Nós estávamos nos divertindo com o grupo quando o ônibus passou esmagando as pessoas", afirmou Jean-Edouard Renald, deitado sobre uma maca na sala de emergência. "O ônibus não estava com os faróis ligados, não pudemos vê-lo. O veículo me atingiu no quadril, eu caí, e depois disso não me lembro mais de nada", afirmou o homem de 26 anos.

"Uma das minhas netas foi morta por este ônibus e meu neto está aqui. Ele vive porque recebe oxigênio", declarou Guerda Fenelus, de 61 anos. "Eu sofro de vê-lo assim e seu silêncio me mata, se ele falasse, eu teria esperanças", lamenta-se.

Linchamentos

No Haiti, por medo de serem linchados por moradores, motoristas envolvidos em acidentes muitas vezes fogem do local.

Faustin Joseph, coordenador da proteção civil do estado de Artibonite, no Haiti, havia declarado que o motorista tinha sido "colocado com segurança na delegacia de polícia em Gonaives", junto com os passageiros. Mas a polícia haitiana afirmou em seguida que o motorista havia fugido antes da chegada dos policiais no local do acidente. Outros incidentes também foram observados no local, mas a situação voltou a ficar calma novamente na tarde de domingo, de acordo com autoridades locais, e os passageiros do ônibus deixaram a delegacia, após prestarem depoimento.

O presidente haitiano, Jovenel Moses, disse estar "horrorizado" com o acidente e enviou, em nome de todo o governo, suas “sinceras condolências às famílias e parentes das vítimas desta tragédia", de acordo com um comunicado oficial. Gonaives é a terceira maior cidade do Haiti e possui cerca de 300 mil habitantes.

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.