Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 21/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 21/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 21/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 21/09 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 21/09 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 21/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 20/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 20/09 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Américas

Hollywood se mobiliza contra Donald Trump

media O elenco da série Orange is the new black homenageou a diversidade ao receber o SGA Awards www.sagawards.org

Depois de vários artistas se exprimirem contra as primeiras medidas anunciadas pelo presidente norte-americano Donald Trump, dois grandes sindicatos da indústria cinematográfica de Hollywood, que representam atores e diretores, criticaram a decisão do chefe da Casa Branca de proibir temporariamente a entrada nos Estados Unidos de cidadãos de sete países de maioria muçulmana.

O Sindicato dos Diretores dos Estados Unidos (DGA, na sigla em inglês), que representa os interesses dos diretores de cinema e televisão, criticou em um comunicado o decreto assinado por Trump. "O DGA acredita profundamente que os artistas, independentemente de sua origem nacional, de sua religião ou de seu gênero, devem poder vir aos Estados Unidos para mostrar seu trabalho", afirmou a organização.

"As políticas que impedem isto, sem a reflexão necessária, devem preocupar qualquer pessoa que se importa com a arte e o cinema. O intercâmbio artístico aberto é a base do que somos, é do que tratam cada vez mais os filmes a televisão: reunir a humanidade, transcender fronteiras e culturas", completa a nota do DGA.

O Sindicato dos Atores dos Estados Unidos (SAG-AFTRA), que representa mais de 160 mil atores e outros profissionais da indústria, também se mobilizou. A organização destacou o apego à "igualdade de oportunidades, independente da raça, gênero, religião, deficiência, orientação sexual ou país de nascimento".

"Esta política de imigração é equivocada e nós vamos apoiar nossos colegas artistas a cada passo", afirma uma nota do SAG-AFTRA, citada pela revista Variety.

No último fim de semana, durante as cerimônias de entrega dos prêmios que precedem o Oscar, vários atores se exprimiram contra Trump em seus discursos. Na abertura do SAG awards, Ashton Kutcher deu o tom do evento, ao saudar os membros da entidade, mas também aqueles que estavam bloqueados nos aeroportos por causa do decreto anti-imigração. “Vocês são bem-vindos”, disse, lembrando que sua mulher, a atriz Mila Kunis, chegou aos Estados Unidos como refugiada.

Já o elenco da série Orange is the new black, aproveitou a tribuna do SAG awards para dizer que são orgulhosos de representar “um grupo tão diverso de pessoas cujas famílias procuraram nos Estados Unidos, durante gerações, uma vida melhor”.

(Com informações da AFP)

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.