Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 16/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 16/10 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 16/10 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 16/10 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 16/10 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 16/10 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 15/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 15/10 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Américas

Após Ford e GM, Trump ameaça Toyota por fabricar carros no México

media Em nome do protecionismo, Trump ameaça pela primeira vez uma grande empresa internacional REUTERS/Carlo Allegri/File Photo

O presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, ameaçou impor tarifas de importação à Toyota caso a empresa prossiga seus planos de investimentos em uma fábrica no México, que exportaria carros para o mercado americano. As declarações foram feitas após a Ford, que também foi pressionada pelo republicano, cancelar seus planos de construção de uma filial no território mexicano.

Depois da Ford anular o projeto de uma nova fábrica no México, e da General Motors ser ameaçada de retaliações pela fabricação de carros no país vizinho, agora foi a vez da gigante japonesa ser alvo das declarações protecionistas de Trump. "A Toyota disse que construirá uma nova fábrica em Baja, no México, para produzir carros Corolla para os Estados Unidos. DE JEITO NENHUM! Construa uma fábrica nos Estados Unidos ou pague uma tarifa de importação", disse o presidente eleito por meio de sua conta no Twitter.

A declaração é uma reação ao anúncio feito em novembro pela Toyota, que comemorou a instalação de uma fábrica de US$ 1 bilhão no território mexicano. No entanto, a filial em questão não se situa em Baja, na fronteira da Califórnia, como apontou Trump, e sim em Guanajuato, no centro do México.

Além disso, pouco antes da declaração do futuro chefe da Casa Branca, o presidente da Toyota, Akio Toyoda, havia afirmado que manter um bom relacionamento com Trump é fundamental, demonstrando disposição de trabalhar com o republicano. Um porta-voz da gigante automobilística disse que a empresa pretende responder ao tuíte de Trump.

Acordo de livre comércio é questionado

O presidente eleito contesta o fato de que essas empresas beneficiam do Tratado Norte-Americano de Livre Comércio, acordo assinado entre Washington, México e Canadá, que permite, sob condições mas sem taxas aduaneiras, exportar para os Estados Unidos mercadorias produzidas no território mexicano. O texto foi um dos principais alvos durante a campanha presidencial de Trump, que prometeu renegociar a parceria, em vigor desde 1994.

Mas com essa ameaça visando a Toyota, o republicano ultrapassa mais um limite em sua cruzada protecionista, pois pela primeira vez ele ataca um grupo estrangeiro. As ações da empresa japonesa caíram 0,6% após a tuite de Trump.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.