Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 22/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 22/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 22/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 22/09 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 22/09 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 22/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 21/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 21/09 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Américas

Kerry deve fazer discurso contra assentamentos israelenses nesta quarta

media A colônia israelense Givat Zeev, nos arredores de Jerusalém REUTERS/Baz Ratner/Archivo

O secretário de Estado americano, John Kerry, fará um esperado discurso nesta quarta-feira (28) sobre a visão do governo Barack Obama quanto ao conflito entre israelenses e palestinos.

Daniela Kresch, correspondente da RFI em Israel

Kerry deve criticar os assentamentos israelenses na Cisjordânia e em Jerusalém Oriental, considerados pelo governo Obama como obstáculos para a paz.

O discurso acontecerá cinco dias depois da aprovação, pelo Conselho de Segurança da ONU, de uma resolução condenando os assentamentos, que só foi aprovada porque os americanos surpreenderam e não utilizaram seu poder de veto.

Desde a votação, o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, adotou uma série de retaliações contra os países que aprovaram a resolução.

Ontem, por exemplo, Netanyahu suspendeu projetos de assistência a Angola. Ele também chamou de volta os embaixadores de Israel na Nova Zelândia e no Senegal, além de cancelar a visita do primeiro-ministro da Ucrânia ao país.Mas, segundo autoridades israelenses, a reunião sobre os novos 600 assentamentos em Jerusalém Oriental será realizada em uma data futura.

É lá que ficam locais sagrados como o Muro das Lamentações, a Mesquisa de Al-Aqsa e a Igreja do Santo Sepulcro.Netanyahu insiste que só negociaçãos diretas entre israelenses e palestinos podem solucionar o conflito, e não resoluções da ONU. Ele acusou Obama de conspirar contra Israel na organização.Israel também considera suspender financiamento à ONU e se abster de votações importantes.

A resolução do Conselho de Segurança pode ajudar os palestinos a acionarem Israel por crimes de guerra na Corte Penal Internacional, em Haia.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.