Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 22/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 22/07 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 22/07 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 22/07 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 22/07 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 22/07 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 21/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 21/07 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Américas

Congresso da Colômbia ratifica o acordo de paz com as Farc

media Le président Juan Manuel Santos et le chef des Farc Rodrigo Londono, le 24 novembre 2016 à Bogota. REUTERS/Jaime Saldarriaga

O congresso colombiano ratificou nesta quarta-feira (30) à noite o acordo de paz firmado com a guerrilha das Farc, um dia depois de ter sido aprovado pelo Senado.

Por unanimidade, do total de 166 deputados, os presentes votaram com 130 votos a favor e 0 contra, ratificando um acordo que põe fim a 52 anos de conflito armado. O texto foi renegociado após o fracasso do referendo de 2 de outubro, marcado pela vitória do "não".

Representada pelo partido de direita Centro Democrático, do ex-presidente e atual senador Álvaro Uribe, a bancada da oposição optou por abandonar a sala momentos antes da votação, como havia feito na véspera, quando o acordo de paz foi referendado pelo Senado.

A decisão do Congresso foi celebrada imediatamente no Twitter pelo presidente Juan Manuel Santos como um "histórico apoio" à paz. O acordo foi firmado pelas partes na semana passada, depois de acrescentar as propostas da oposição.

Guerrilha mais antiga da América Latina

As Farcs surgiram em 1964 e são a guerrilha mais antiga da América Latina, contando atualmente com 5.765 combatentes. Esta é a quarta vez que o governo inicia um processo de paz com os guerrilheiros. As outras negociações, ocorridas nos governos de Belisario Betancur (1982-1986), César Gaviria (1990-1994) e Andrés Pastrana (1998-2002), fracassaram.

Nas últimas semanas foram relatados homicídios e atentados contra vários líderes sociais, principalmente no sul e oeste do país, além de um incidente em que faleceram dois guerrilheiros das Farc em supostos combates com o Exército, apesar do cessar-fogo que as partes mantém desde agosto.

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.