Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 21/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 21/07 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 21/07 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 21/07 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 21/07 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 21/07 09h30 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 20/07 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 20/07 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Ciências

Solar Impulse 2 completa 9ª etapa de volta ao mundo sem combustível

media Os pilotos Bertrand Piccard (esquerda) e Andre Borschberg, ao pousarem em Dayton neste sábado (21). Solar Impulse 2/AFP

O avião Solar Impulse 2 aterrissou em Dayton, no Estado norte-americano de Ohio, na última etapa de uma viagem destinada a quebrar o recorde de trajeto ao redor do mundo sem consumo de combustível. O avião partiu no sábado (21) da cidade de Tulsa, no Oklahoma.

Movido à energia solar, o avião, pilotado pelos suíços Andre Borschberg e Bertrand Piccard, pousou às 21h56 locais de sábado no Aeroporto Internacional de Dayton, após 16 horas e 34 minutos de voo, com o propósito de promover o uso de energia limpa.

A parada em Dayton é particularmente simbólica, por ser a cidade dos irmãos Orville e Wilbur Wright, pioneiros americanos que realizaram o primeiro voo em um avião motorizado e tripulado.

A décima etapa do avião será cruzar os Estados Unidos e chegar a Nova York, onde vai se preparar para outro grande desafio: atravessar o oceano Atlântico. Em seguida, Borschberg e Piccard pilotarão o Solar Impulse até Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, o ponto onde a aventura começou, em 9 de março de 2015.

Como funciona o Solar Impulse

O Solar Impulse 2, que tem 72 metros de comprimento e pesa 2,3 toneladas, é capaz de voar de dia e de noite, graças às suas milhares de células fotovoltaicas, ou seja, que convertem a radiação solar em eletricidade. Durante a noite, a aeronave voa graças à energia estocada.

O projeto já fez história em julho de 2015, quando Borschberg, que é cofundador do projeto, bateu o recorde de voo solo para percorrer em cinco dias e cinco noites - 117 horas e 52 minutos - os 8,9 mil quilômetros que separam a cidade japonesa de Nagoia do Havaí, considerada até agora a etapa mais difícil.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.