Ouvir Baixar Podcast
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 21/04 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 21/04 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 21/04 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 20/04 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 20/04 15h06 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 20/04 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 20/04 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 20/04 09h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Américas

Argentina volta ao mercado financeiro internacional

media Acordo para pagar as dívidas públicas é prioridade do presidente argentino Maurício Macri. REUTERS/Argentine Presidency/Handout via Reuters

A Argentina está oficialmente de volta ao mercado financeiro após 15 anos de ausência, virando definitivamente a página da batalha judiciária que se instalou após o país deixar de honrar suas dívidas, em 2001.

O governo argentino anunciou um empréstimo entre US$ 10 e 15 bilhões que servirá como bônus para compensar os detentores de títulos inadimplentes que rejeitaram as condições de reestruturação da dívida pública há 15 anos.

Este regresso ao mercado financeiro era uma das prioridades do novo presidente argentino, Mauricio Macri, que chegou ao poder em dezembro do ano passado e desde então começou a negociar um acordo com os fundos de investimentos norte-americanos Elliott Management e Aurelius Capital.

"Fundos abutres"

Estes investidores compraram títulos da divida argentina totalmente depreciados - os chamados "fundos abutres" - na esperança de serem ressarcidos a preços bem mais altos. No entanto, o governo argentino não aceitou a transação e o país foi colocado em moratória.

Os novos títulos, classificados como investimentos especulativos e cujo preço inicial é aguardado para ser anunciado nesta terça-feira (19), devem, de acordo com os primeiros indicativos, ter um rendimento de 6,75% em três anos e 8% em dez anos. Fatias de cinco e 30 anos também estão planejadas.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.