Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 22/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 22/07 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 22/07 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 22/07 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 22/07 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 22/07 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 21/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 21/07 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Américas

Debate republicano sem Trump foi marcado por discursos radicais

media O último debate republicano à sucessão de Barack Obama antes dos primeiros votos das primárias de Iowa. REUTERS/Jim Young TPX IMAGES OF THE DAY

O último debate republicano à sucessão de Barack Obama antes dos primeiros votos serem contados nas primárias de Iowa, na segunda-feira (1), foi marcado por discursos radicais de direita pelos dois candidatos que aparecem mais próximos do líder Donald Trump nas pesquisas.

Eduardo Graça, de Nova York, para a Rádio França Internacional

Os senadores Ted Cruz e Marco Rubio aproveitaram a ausência de Trump, que boicotou o debate realizado na capital de Iowa na noite de quinta-feira (28) à noite, para se posicionarem à direita do empresário e tentar ganhar pontos com os eleitores evangélicos, ultraconservadores e indecisos.

Cruz e Rubio centraram suas performances em tema caro aos mais conservadores: a reforma da política de imigração do país. Eles pareciam disputar o título de mais radicalmente contrário à cessão de cidadania para os cerca de 12 milhões de trabalhadores não-documentados nos EUA, em sua maioria hispânicos, como defendem os democratas.

Cruz e Rubio, que curiosamente têm, os dois, origem cubano-americana, disputam voto a voto o segundo lugar nas pesquisas e já estão de olho no segundo estado do calendário eleitoral americano, New Hampshire, que vai às urnas na semana seguinte a Iowa.

Eles apostam que um segundo lugar nos dois estados levará a cúpula do partido a se unir em torno daquele que seria o candidato anti-Trump.

Outros candidatos ficaram ofuscados

Os demais candidatos, inclusive o governador de Nova Jersey, Chris Christie, e o ex-governador da Flórida, Jeb Bush, tiveram participação mais discreta e torcem por um milagre para seguirem na disputa.

O candidato Donald Trump promoveu evento paralelo ao último debate republicano à sucessão de Barack Obama. REUTERS/Aaron P. Bernstein

A ausência de Donald Trump, que exigiu a retirada de uma das moderadoras do debate, pedido negado pelo canal de tevê Fox News, foi uma atração à parte. O milionário empreendedor decidiu, em represália, comandar um evento no mesmo momento do debate, de apoio a veteranos feridos em guerras, que, segundo Trump, arrecadou mais de US$ 5 milhões, sendo US$ 1 milhão de seu próprio bolso para os soldados americanos.

Realizado a poucos quilômetros do debate, seu evento acabou atraindo quase tanta atenção e cobertura da mídia quanto o que reuniu todos os seus demais competidores pela primazia de enfrentar um democrata para a sucessão de Barack Obama. Atestado de que o outsider nunca esteve tão perto da Casa Branca.

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.