Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 17/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 17/07 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 17/07 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 17/07 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 17/07 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 17/07 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 16/07 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 16/07 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Américas

Presidente argentina segue internada e sem previsão de alta

media A presidente argentina, Cristina Kirchner, em foto de arquivo. REUTERS/Argentine Presidency

A presidente da Argentina, Cristina Kirchner, deve continuar internada, sem previsão de alta, devido a uma infecção no intestino. Sua agenda oficial, que incluía uma reunião bilateral nesta terça-feira (4) com a presidente chilena Michelle Bachelet, foi suspensa.

Cristina Kirchner, de 61 anos, foi hospitalizada no último domingo (2) devido a uma sigmoidite, inflamação no cólon. A infecção é relativamente simples, mas exige cuidados intensos, já que a bactéria se alastrou pela corrente sanguínea da presidente argentina. Em geral, esse tipo de doença causa de 5 a 7 dias de internação e é tratada com soro fisiológico e antibióticos administrados por via intravenosa.

Segundo os médicos que tratam de Kirchner em uma clínica de Buenos Aires, o quadro dela é estável. No entanto, os especialistas não têm previsão de quando a chefe de Estado poderá deixar o hospital.

Segundo o secretário argentino de Comunicação Pública, Alfredo Scoccimarro, a visita oficial ao Chile foi cancelada e reprogramada para novembro. Kirchner e Bachelet tinham uma teleconferência marcada com o papa Francisco nesta terça-feira.

Saúde frágil

A um ano das eleições presidenciais, Kirchner tem dificuldades para cumprir a agenda oficial. Nos últimos oito meses, ela teve de suspender três vezes seus compromissos por razões de saúde.

A saúde da chefe de Estado é frágil. No final de outubro, ela foi internada devido a uma faringite. Em julho, passou mais de uma semana em repouso devido a uma laringite e teve que anular uma visita oficial ao Paraguai.

Há cerca de um ano, Kirchner teve um hematoma cerebral retirado e precisou se ausentar da presidência durante seis semanas. Em 2012, ela foi submetida a uma operação devido a um câncer de tireoide.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.