Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 14/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 14/10 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 14/10 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 14/10 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 14/10 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 14/10 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 13/10 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 13/10 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Américas

Polícia revela nome do policial que matou jovem negro no Missouri

media Manifestantes de Nova York levantam as mãos, repetindo o gesto feito pelo jovem Michael Brown antes de ser morto por um policial na cidade de Fergunson no último sábado. REUTERS/Brendan McDermid

A polícia da cidade de Ferguson, nos Estados Unidos, anunciou nesta sexta-feira (15) que o policial Darren Wilson é o autor dos tiros que matou o jovem Michael Brown no último sábado. O caso gerou uma grande revolta no país, com inúmeros protestos sendo realizados em várias cidades.

Darren Wilson trabalha como policial em Fergunson, no Estado do Missouri, há mais de seis anos e, de acordo com seus colegas, ele nunca teve problemas de disciplina. Até hoje, a polícia havia se recusado a divulgar o nome do responsável pela morte de Michael Brown, adolescente negro de 18 anos, por razões de segurança.

As polícias local e a federal (FBI) investigam o caso, que tem duas versões. De acordo com a polícia, o garoto foi morto depois de ter agredido um policial e tentar roubar sua arma. Mas uma testemunha diz que o jovem caminhava na rua com um amigo, não estava armado, e foi alvejado depois de ser rendido pelo policial e estar com as mãos para cima.

Tensão

O Estado do Missouri adotou medidas para acalmar a tensão causada pela morte do adolescente. Após uma semana de protestos violentos, o governo anunciou mudanças no comando da polícia local, que ficará sob a responsabilidade do chefe da Polícia Rodoviária do Missouri, capitão Ron Johnson.

Johnson é negro, cresceu na periferia de Saint Louis e prometeu uma "abordagem diferente" na luta contra o crime. Na coletiva de imprensa em que foi apresentado, o capitão disse que é preciso colocar um fim no ciclo de violências, restabelecer a confiança dos cidadãos de Ferguson e mostrar o respeito dos policiais pelos habitantes.

Ontem, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, pediu calma e cautela à polícia de Ferguson, considerando que os policiais têm a “responsabilidade de ser transparentes” sobre como o adolescente foi morto. Obama também criticou a polícia pelo "uso excessivo da força em manifestações pacíficas", ressaltando que "não há justificativa" de violências contra policiais.

Trayvon Martin

O assassinato em Ferguson reavivou as discussões sobre o racismo nos Estados Unidos e relembrou o caso de Trayvon Martin, de 17 anos. O garoto negro foi morto pelo vigia George Zimmerman, na Flórida, em 2012. Em uma sentença polêmica, um júri absolveu Zimmerman, considerando que o réu atirou em legítima defesa.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.