Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 20/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 20/08 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 20/08 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 20/08 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 20/08 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 20/08 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/08 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Américas

Temperaturas negativas podem bater recordes nos Estados Unidos

media Uma pessoa escorrega por causa do gelo em Roosevelt Island, em Manhattan (5/01/2014). REUTERS/Zoran Milich

Milhões de americanos passam muito frio neste domingo, com sensações térmicas que atingiam 38 graus negativos, com neve ou chuva de gelo. O início da semana promete ser muito frio, com recordes negativos que podem ser batidos. O vizinho Canadá também se prepara para enfrentar o frio glacial - cerca de -17°c em Toronto na terça - e quedas de neve de até 25 cm anunciados para a noite deste domingo.

No norte dos Estados Unidos e no Canadá as condições meteorológicas difíceis levaram a muitos atrasos em vários aeroportos. Segundo o site especializado flightaware.com, mais de 4200 voos em direção ou saindo dos Estados Unidos registravam atrasos por volta de 19h30 GMT.

O aeroporto internacional JFK, de Nova York, ficou fechado algumas horas durante a manhã, depois que um avião derrapou na pista. No aeroporto O'Hare de Chicago - onde caíram de 20 a 25 cm de neve – os atrasos eram de mais de cinco horas.

Tempestades de neve no norte dos EUA e no Canadá já provocaram pelo menos 11 mortos desde o início do ano. As temperaturas para os próximos dias poderão provocar sensação térmica de -50°C.

Mais frio que Alasca

Os serviços meteorológicos americanos alertam para temperatura potencialmente fatais em caso de exposição prolongada ao frio. "A pele pode congelar em apenas cinco minutos com sensações térmicas de -45°C", assinalaram os serviços meteorológicos de Minneapolis e Saint Paul, em Minnesota.

Mas o frio também pode atingir o sudeste dos EUA. Na segunda-feira, fará mais frio em Atlanta, no sul, do que em Anchorage, a maior cidade do Alasca, segundo a CNN.

A tempestade é o primeiro grande desafio do novo prefeito de Nova York, Bill de Blasio. Na sexta-feira, ele anunciou que cerca de 2.500 máquinas de retirar neve estariam nas ruas no início do dia. Ele pediu que os habitantes da cidade ficassem em casa.

Também na sexta-feira, a Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York, e os tribunais federais em Nova Jersey fecharam por causa da neve. Escolas ficaram sem funcionar em Nova York, Nova Jersey, Boston e Massachusetts. Centenas de milhares de funcionários públicos federais em Washington foram orientados a trabalhar de casa ou tirar o dia de folga por causa da tempestade.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.