Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 20/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 20/08 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 20/08 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 20/08 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 20/08 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 20/08 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/08 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Américas

Fidel fala sobre Mandela e parabeniza irmão por cumprimentar Obama

media Fidel Castro fala com jornalistas durante eleições legislativas em 3 de fevereiro de 2013. REUTERS/AIN FOTO/Marcelino Vazquez

Fidel Castro, ex-presidente de Cuba, comentou hoje pela primeira vez a morte de Nelson Mandela e o histórico aperto de mão entre seu irmão Raúl e Barack Obama na homenagem nacional ao ex-presidente sul-africano, morto no dia 5 de dezembro.

Em um artigo publicado nesta quinta-feira no jornal oficial Granma, Fidel se refere a Mandela "como um apóstolo da paz" e felicita seu irmão Raúl por sua "firmeza e dignidade" na saudação que dirigiu ao presidente dos Estados Unidos nos funerais do líder sul-africano.

No artigo, intitulado "Mandela morreu - Por que ocultar a verdade sobre o apartheid?", Fidel, de 87 anos e aposentado do poder desde 2006, define o ex-líder negro como "um homem íntegro, revolucionário profundo e radicalmente socialista".

"Nenhum acontecimento presente ou passado que eu lembre ou ouvi mencionar, como a morte de Mandela, teve tanto impacto no público mundial e não por suas riquezas, mas pela qualidade humana e a nobreza de seus sentimentos e ideias", diz o ex-presidente cubano.

Castro destaca "os fraternais sentimentos da irmandade profunda entre o povo cubano e a pátria de Nelson Mandela", que é admirado "por sua honradez, sua modéstia e enorme mérito".

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.