Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 23/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 23/08 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 23/08 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 23/08 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 23/08 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 23/08 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 22/08 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 22/08 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
Américas

Bachelet é favorita em 2º turno de eleições presidenciais no Chile

media Ex-presidente já depositou o seu voto em uma urna de Santiago. REUTERS/Maglio Perez

A ex-presidente socialista Michelle Bachelet é a grande favorita no segundo turno das eleições presidenciais chilenas neste domingo. Ela concorre contra a candidata da direita, Evelyn Matthei. Mais de 13 milhões de eleitores - de uma população de 16,5 milhões - estão registrados para votar em todo o país, segundo o Serviço Eleitoral (Servel).

A votação prossegue acontece das 8h às 18h no horário local (9h às 19h de Brasília). O primeiro resultado oficial, com 40% dos votos apurados, deve ser anunciado uma hora depois do fechamento das urnas.

Pouco antes das 20h (21h de Brasília), a nova presidente do Chile para o período 2014-2018 deve ser proclamada, segundo a previsão do Servel. Bachelet, pediatra de 62 anos que em 2006 se tornou a primeira mulher a assumir a presidência do país, venceu o primeiro turno, em 17 de novembro, com 46,6% dos votos. Matthei, uma economista de 60 anos e ex-ministra do Trabalho, recebeu 25,1% dos votos.

A socialista Bachelet é considerada a franca favorita após a vantagem de 21 pontos no primeiro turno sobre Matthei, um resultado praticamente irreversível para a candidata governista. A socialista votou durante a manhã em uma escola da zona leste de Santiago.

"Meu pedido essencial é de participação, expressem sua opinião no voto e desta maneira façam as mudanças que o Chile requer. Do ceticismo não se produzem as mudanças que precisamos", disse Bachelet.

A ex-presidente foi aplaudida ao votar e recebeu demonstrações de carinho, especialmente das mulheres. "Estou convencida de que hoje será um dia muito importante, onde é relevante que as pessoas, homens e mulheres de nossa pátria, possam comparecer a participar e, com seu voto, dar uma clara expressão do Chile em que queremos seguir vivendo", declarou.

Quatro pessoas foram detidas em incidentes alguns minutos antes de Evelyn Matthei votar em um colégio do centro de Santiago. Três mulheres e um homem tentaram agredir o ex-candidato da direita Pablo Longueira e foram detidos. Longuiera desistiu da candidatura em julho, afetado por uma depressão, e foi substituído por Matthei, que chegou ao local minutos depois e votou em meio a um forte esquema de segurança.

O voto no Chile é facultativo e analistas projetam que o segundo turno deve ter uma participação menor que a dos 6,6 milhões de eleitores que compareceram às urnas no primeiro turno, em um dia de alta temperatura e com grande parte do comércio aberto, a 10 dias do Natal.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.