Ouvir Baixar Podcast
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 16/12 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 16/12 14h06 GMT
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 16/12 14h00 GMT
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 16/12 08h57 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 16/12 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 16/12 08h30 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 15/12 08h36 GMT
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 15/12 08h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.

Cuba amplia acesso público à internet

Cuba amplia acesso público à internet
 
Um "cibercafé" cubano, onde a conexão à internet é permitida pelo governo, apesar de cara. REUTERS/Stringer

Dois anos depois de pronto, o famoso cabo de fibra óptica que vai da Venezuela a Cuba foi inaugurado. Apesar de ainda caro para os cubanos, a novidade vai facilitar o acesso da ilha à internet. Ampliação do serviço é inédita na ilha dos irmãos Castro

, mas opositores ao governo desconfiam da privacidade da conexão.

Para o início do serviço, foram usados 334 servidores da estatal cubana Etecsa, distribuídos em 118 salas em várias províncias do país. A novidade representa uma conexão melhor para os cubanos, ainda restrita e muito cara. O valor da hora em cibercafés varia entre  US$ 5 (R$ 10) e US$ 10 (R$ 21) enquanto os salários da população são calculados em pesos cubanos, moeda cujo valor é 24 vezes inferior. A média salarial na ilha é de  US$ 20 (R$ 42).

Líder regional da informática nos anos 1990, Cuba hoje é um dos países cujos habitantes têm menos acesso à internet nas Américas. Em 2010, eram 15,9 usuários a cada 100 cubanos - número superior apenas aos de Belize, Bolívia, El Salvador, Haiti, Nicarágua e Suriname. O atraso deve-se principalmente a duas razões: o embargo econômico imposto pelos Estados Unidos e a queda do bloco soviético, que resultou no fim da ajuda monetária aportada pela União Soviética.

O acesso à internet ainda é restrito e os cubanos precisam de autorização oficial para usar a internet em escritórios e universidades que têm conexão aberta. Por esse motivo, sites e blogs de oposição ao regime dos irmãos Castro questionam a privacidade do serviço na ilha.

De Cuba, a jornalista Vanessa Oliveira explica essa novidade.


Sobre o mesmo assunto

  • Justiça/Brasil

    STJ determina que Google quebre sigilo de e-mail para auxiliar investigação

    Saiba mais

  • Suécia/Internet

    Na Suécia, 40% das crianças de dois anos utilizam internet

    Saiba mais

  • Reportagem

    Turista terá aplicativo para encontrar casas de câmbio legais no Brasil

    Saiba mais

  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. ...
  5. seguinte >
  6. último >
Programas
 
O tempo de conexão expirou.