Ouvir Baixar Podcast
  • 14h27 - 14h30 GMT
    Flash de notícias 19/11 14h27 GMT
  • 14h06 - 14h27 GMT
    Programa 19/11 14h06 GMT
  • 14h00 - 14h06 GMT
    Jornal 19/11 14h00 GMT
  • 08h57 - 09h00 GMT
    Flash de notícias 18/11 08h57 GMT
  • 08h33 - 08h57 GMT
    Programa 18/11 08h33 GMT
  • 08h30 - 08h33 GMT
    Jornal 18/11 08h30 GMT
  • 08h36 - 08h57 GMT
    Programa 16/11 08h36 GMT
  • 08h30 - 08h36 GMT
    Jornal 16/11 08h30 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
África

“Eu amo a Nigéria”: Macron quer melhorar segurança e acesso à cultura no país

media Emmanuel Macron e Muhammadu Buhari em Paris ALAIN JOCARD / AFP

O presidente francês Emmanuel Macron está de passagem pela Nigéria nesta terça-feira (3), país que o chefe de Estado conhece bem após ter feito um estágio durante seus anos de estudo na conceituada Escola Nacional de Administração (ENA). Macron deve debater com Muhammadu Buhari, líder nigeriano, sobre questões de segurança e a luta contra o grupo terrorista Boko Haram.

“É um país que amo muito. Tenho várias lembranças da África, que nunca me deixaram”, declarou Macron. Após uma visita ao Gana no mês passado, chegou a vez da Nigéria, poderosa parceira econômica da França. Em Abuja, capital federal do país, o presidente francês deve discutir com Buhari a respeito do combate contra o Boko Haram.

“Muhammadu Buhari foi essencial para a força de ação africana contra o Boko Haram e trouxe resultados”, afirmou Macron, que lembrou a importância da união dos estados africanos na luta. A Nigéria é palco principal da insurreição jihadista, que já deixou 20.000 mortos desde 2009.

Lagos: eldorado artístico africano 

Para a terceira etapa de sua visita, na cidade de Lagos, o presidente francês, o primeiro pisar na megalópole, vai seguir a linha diplomática habitual e se concentrar no investimento cultural. Nesta terça-feira, o chefe de Estado francês deve lançar a Temporada das culturas africanas, que acontecerá na França em 2020.

De acordo com Macron, o Eliseu deseja por em ação uma estratégia cultural e artística que “coloque a África no centro”. A escolha da casa de shows Shrine como local para a reunião surpreendeu os nigerianos, mas Macron reafirmou sua decisão de se reunir num “lugar vibrante”.

“É uma bela surpresa o fato de que Macron tenha escolhido celebrar a cultura durante sua visita a Lagos”, afirmou o Ministro local do Turismo e da Cultura, Seteve Ayorinde. “Ao mesmo tempo, não é um choque, tendo em vista a reputação da França com relação à cultura e que Macron é um presidente jovem e que conhece o país”.

Tokini Peterside, diretora da Art X, uma das maiores feiras de arte contemporânea da África, disse que Macron foi “ousado”. “Lagos pode enfim mostrar o que é: a capital cultural da África, com músicos, artistas e estilistas que são hoje conhecidos no mundo todo”.

Na quarta-feira (4), a previsão é de que o presidente inaugura uma nova sede da Aliança Francesa na cidade, onde, apesar da grande energia artística, o acesso à cultura permanece limitado e caro.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.