Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 25/03 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 25/03 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 25/03 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 25/03 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 25/03 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 25/03 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 24/03 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 24/03 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
África

Boko Haram liberta 21 estudantes sequestradas na Nigéria

media Familiares das jovens sequestradas comemoram anúncia de libertação REUTERS/Afolabi Sotunde

O grupo extremista Boko Haram libertou nesta quinta-feira (13) 21 estudantes sequestradas em Chibok, na Nigéria, há mais de dois anos. O Comitê Internacional da Cruz Vermelha teria negociado a troca das jovens por prisioneiros. Eles fazem parte de uma grupo de mais de 200 meninas capturadas.

Garba Shehu, porta-voz da presidência da Nigéria, confirmou a libertação que teria sido "facilitada pelo CICV (Comitê Internacional da Cruz Vermelha) e pelo governo suíço". O comunicado não menciona nenhuma troca. Mas de acordo com fontes próximas do governo nigeriano, as jovens teriam sido trocadas por quatro prisioneiros do Boko Haram, na região de Banki, na fronteira com o Camarões. Elas foram transportadas de helicóptero para Maiduguri, capital do estado de Borno, antes de serem levadas para Abuja. O CICV não quis fazer comentários.

"O presidente Muhammadu Buhari comemora a libertação das meninas, mas lembra aos nigerianos que mais de 30 mil cidadãos morreram pelo terrorismo" do Boko Haram, acrescentou o comunicado, ressaltando que em breve serão divulgados os nomes das liberadas.

Das 276 estudantes capturadas no dia 14 de abril de 2014, 57 haviam conseguido fugir logo depois do sequestro.

Imagens das sequestradas foram divulgadas no YouTube

No início de agosto deste ano, muitas das jovens ainda detidas apareceram em um vídeo publicado por seus sequestradores no YouTube, depois de meses de silêncio e dúvidas sobre seu estado de saúde. Em meados de setembro, o governo nigeriano reconheceu que as negociações iniciadas com o grupo extremista para a libertação das alunas fracassaram em três ocasiões.

O sequestro em massa provocou uma onda de indignação mundial. Na época, a primeira-dama norte-americana, Michelle Obama, fez campanha segurando um cartaz com a hashtag #Bringbackourgirls, que se tornou popular no Twitter.

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.