Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 19/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 19/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 19/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 19/09 09h57 GMT
  • 09h36 - 09h57 GMT
    Programa 19/09 09h36 GMT
  • 09h30 - 09h36 GMT
    Jornal 19/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 18/09 15h27 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 18/09 15h00 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
África

Angola: províncias de Uíge e Malanje mais afectadas pelas inundações

media Luanda foi assolada por fortes chuvas Radio Ecclesia

Esta madrugada, chuvas ininterruptas causaram fortes inundações na capital angolana. As zonas mais afectadas pelas intempéries situam-se no norte do país, na província do Uíge registam-se cerca de 4000 desalojados e seis mortos e em Malanje mais de 2000 desalojados. 

Na capital angolana os casos mais críticos situam-se nas zonas suburbanas, embora a protecção civil e os bombeiros não tenham registado danos pessoais, nem queda de árvores, apenas inundações e deslizamento de terras.

O município de Viana, a 20 quilómetros de Luanda, foi o mais afectado pelas inundações que se registaram na madrugada desta terça-feira. Segundo a protecção civil e os bombeiros um dos factores que provoca inundações é a colocação de volumosas quantidades de lixo nas valas de escoamento das águas e a construção nas vias de passagem das mesmas.

Há duas semanas Angola tinha sido atingida por fortes chuvas que inundaram bairros, ruas, residências e deixaram intransitáveis ruas, estradas e a linha ferroviária em alguns municípios e distritos.

Sobre os estragos de hoje, o porta-voz provincial de Luanda do serviço de protecção civil e bombeiros, Faustino Nguenje, deu conta que apesar de Luanda ter sido afectada pelas inundações as preocupações estão voltadas para  o município de Viana. "Estamos a trabalhar com os meios que temos à nossa disposição de forma genérica, mas estamos a trabalhar no sentido de darmos solução às zonas mais críticas e estamos a falar de Viana. Nesta altura temos um centro infantil inundado, é uma prioridade para nós, vamos trabalhar de forma priorizada tendo em conta o grau de gravidade das ocorrências", declarou o porta-voz à agência noticiosa lusa. Mais pormenores com o nosso correspondente em Luanda, Avelino Miguel.

Correspondência de Angola 02/12/2014 Ouvir

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.