Ouvir Baixar Podcast
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 21/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 21/09 15h06 GMT
  • 15h00 - 15h06 GMT
    Jornal 21/09 15h00 GMT
  • 09h57 - 10h00 GMT
    Flash de notícias 21/09 09h57 GMT
  • 09h33 - 09h57 GMT
    Programa 21/09 09h33 GMT
  • 09h30 - 09h33 GMT
    Jornal 21/09 09h30 GMT
  • 15h27 - 15h30 GMT
    Flash de notícias 20/09 15h27 GMT
  • 15h06 - 15h27 GMT
    Programa 20/09 15h06 GMT
Para poder acessar todos os conteúdos multimídia, você deve instalar o plugin Flash no seu navegador. Para se conectar, você deve ativar os cookies nas configurações do navegador. O site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e +.
África

Grandes Lagos laçam ultimato aos rebeldes das FDLR

media Grandes Lagos laçam ultimato aos rebeldes das FDLR REUTERS/Kenny Katombe

Em Angola, reunidos em mini-cimeira, os chefes de Estado e de Governo da Conferência Internacional da Região dos Grandes Lagos deram um ultimato às Forças Democráticas para a Libertação do Ruanda. Os rebeldes têm até Dezembro para apresentarem a sua rendição.

Decorreu hoje na capital angolana a segunda cimeira deste ano, destinada a analisar a situação de segurança na região dos Grandes Lagos. Além do anfitrião, presidente angolano José Eduardo dos Santos, marcaram presença no encontro os presidentes da República Democrática do Congo, Ruanda e Uganda e o presidente da África do Sul, este último na qualidade de convidado especial.

Os governantes deram um ultimato às FDLR, que têm assim até Dezembro para apresentarem a sua rendição. O presidente angolano, nesta cimeira, reconheceu a dificuldade no desarmamento das Forças Democráticas para a Libertação do Ruanda e sublinhou que é necessário reajustar as políticas para a solucionar a difícil situação dos Grandes Lagos.

José Eduardo dos Santos, presidente de Angola 14/08/2014 Ouvir

Para Outubro ficou ainda agendada uma cimeira conjunta de chefes de Estado e de Governo da CIRGL, para proceder à avaliação da situação no terreno, definir prioridades e harmonizar estratégias.

Georges Chikoti, ministro das Relações Exteriores de Angola, em entrevista a Miguel Martins, não descarta uma eventual intervenção militar perante o impasse no desarmamento das milícias das Forças Democráticas para a Libertação do Ruanda no leste da RDC.

Georges Chikoti, ministro das Relações Exteriores de Angola 14/08/2014 Ouvir

 

Sobre o mesmo assunto
 
O tempo de conexão expirou.